O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

​Douro e Trás-os-Montes nas bocas do mundo, à boleia do Navio Escola Sagres

19 abr, 2017 - 20:02 • Olímpia Mairos

Vinhos, compotas, enchidos e outros sabores do Douro e de Trás-os-Montes estão a bordo do Navio Escola Sagres e têm como destino a América do Sul e a França.
A+ / A-

O Navio Escola Sagres (NRP Sagres) já navega nas águas do mar e, até Setembro, vai passar por portos e cidades de África, América do Sul e Europa, locais onde serão promovidos produtos do norte interior de Portugal, com destaque para a cultura, os vinhos, o agroalimentar e, fundamentalmente, o turismo.

“Em todos os pontos da viagem os produtos do Douro e de Trás-os-Montes vão ser integrados nas ementas do Navio Escola, nas recepções e nas ofertas. Por exemplo, quando o navio chega a um porto, convida as entidades locais e oferece degustações e presentes. Desta vez, esses momentos serão feitos com os produtos de Trás-os-Montes e Douro, promovendo a região”, avança Alberto Tapada, membro da Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR).

Esta é uma acção conjunta da AETUR com o Navio Escola Sagres, a Associação Brasileira de Operadores Turísticos (BRASTOA), a Casa de Portugal em São Paulo e a Unidade de Missão para as Comemorações do V Centenário da Circum-Navegação.

O objectivo da iniciativa é de promoção dos produtos do Douro e de Trás-os-Montes na América do Sul e na Europa, aproveitando a viagem e o simbolismo do Navio Escola Sagres que, este ano, vai comemorar o 10 de Junho ao Rio de Janeiro, Brasil, com a presença do Presidente da República.

“O Douro à Volta do Mundo”

Em paralelo, e também à boleia do Navio Escola Sagres, a AETUR vai organizar quatro acções de internacionalização do Douro, integradas no projecto "O Douro à Volta do Mundo – Magellan World", que contempla pela primeira vez o património do Douro com o legado histórico deixado pelo navegador Fernão de Magalhães e que tem como objectivo “a concretização de diferentes acções de internacionalização da economia e da identidade duriense, como os modos de vida, arquivo da memória, Patrimónios da Humanidade e património imaterial, quer nos países que integram a Rede das Cidades Magalhânicas, quer nos mercados prioritários para o turismo português”.

Essas acções irão decorrer a 12 e 14 de Junho em Montevideu, no Uruguai; Buenos Aires, Argentina; a 17 de Junho em Santos e São Paulo, Brasil, e no final de Agosto em Le Havre, França.

As quatro acções serão marcadas por encontros de trabalho entre empresários da região de Trás-os-Montes e do Vale do Douro, operadores turísticos, jornalistas e representantes institucionais.

Em Santos, por exemplo, terá lugar uma recepção a bordo do Navio Escola Sagres para 50 operadores comerciais, com jornalistas e outras pessoas que fazem opinião, num total de 120 pessoas, com o apoio da Casa de Portugal em São Paulo e da BRASTOA.

Depois da América do Sul, o Navio Escola Sagres parte para o porto francês de Le Havre, onde encerra o seu périplo. E, segundo Alberto Tapada, será uma “paragem que promete ser especial”.

“Acreditamos que vamos ter muita gente da comunidade portuguesa em França a visitar o Navio e a relembrar os sabores do Douro e Trás-os-Montes. Prevemos 10 mil visitantes por dia. Num dos dias vamos ainda ter uma recepção a bordo para 45 operadores turísticos europeus”, refere Alberto Tapada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.