O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Cascais. Queda de aeronave em Tires faz cinco mortos

17 abr, 2017 - 12:26

Bimotor caiu no parque de estacionamento do supermercado Lidl. “Tudo indica que ocorreu uma explosão no ar”.
A+ / A-
Moradores relatam momento da queda do avião em Tires

Veja também:


Uma aeronave despenhou-se ao final da manhã desta segunda-feira em Tires, Cascais, num parque de cargas e descargas de um supermercado da cadeia Lidl.

O acidente provocou a morte dos quatro ocupantes e de uma quinta pessoa, que deverá ser o motorista de um camião, com o qual a aeronave chocou, confirmou fonte da Protecção Civil à Renascença. Há ainda quatro feridos ligeiros confirmados.

“Tudo indica que ocorreu uma explosão no ar”, referiu à Lusa fonte da Autoridade Nacional de Protecção Civil. O incêndio já está dominado.

Três dos ocupantes da aeronave eram franceses e o quarto era suíço, informou a Protecção Civil. Eram todos adultos.

A quinta vítima mortal encontrava-se no parque de estacionamento do supermercado Lidl, junto do qual caiu a aeronave. Há também quatro feridos ligeiros.

Os ocupantes do bimotor são dois homens e duas mulheres. O piloto era um homem de nacionalidade suíça e os passageiros duas mulheres e um homem de nacionalidade francesa, disse à agência Lusa fonte do sector da aviação.

Aeronave despenha-se em Tires. Cinco mortos confirmados

A aeronave, com matrícula suíça, descolou do aeródromo de Tires, tendo-se despenhado cerca de dois mil metros depois da descolagem, disse a mesma fonte.

"O aeródromo municipal de Cascais informa que hoje [segunda-feira], pelas 11h05, o voo de um operador privado 'Symbios Ortophedic', envolvendo uma aeronave PA-31 que descolava de Cascais com destino a Marselha, com três passageiros e um tripulantes a bordo, sofreu um acidente fora do espaço aeroportuário. Foi de imediato accionado o plano de emergência do aeródromo e, dessa forma, accionados os meios internos e externos para fazer face a este acidente. De momento, decorrem as operações de salvamento das vítimas", informou, em comunicado, aeródromo de Tires.

Segundo o comandante municipal da Protecção Civil, Pedro Mendonça, "ficaram nove pessoas desalojadas” devido aos danos causados numa habitação e num anexo. “Mas não foi preciso realojá-las porque vão ficar com familiares."

O Presidente da República acompanhou no local as operações de socorro, que mobilizaram 93 operacionais e 33 viaturas. Marcelo Rebelo de Sousa não quis prestar declarações aos jornalistas.

Cinco pessoas receberam apoio psicológico do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), na sequência da queda da aeronave.

As operações de socorro foram finalizadas ao início da noite, quando os cinco corpos das vítimas foram retirados dos escombros para serem transportados para o Instituto de Medicina Legal.

[notícia actualizada às 21h57]


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • F
    17 abr, 2017 Lisboa 20:16
    Até esta matéria lhes serve para criticar o Presidente da República?! Porquê?! Deixem-me adivinhar: Marcelo não "tira o tapete" a Costa. Portanto, tudo serve para atingir o Presidente. Por vezes, tenho pena de certas características que vejo no meu Povo.
  • Zé das Coves
    17 abr, 2017 Alverca 18:56
    Nos aviões como nos automóveis é necessário manutenção, não sei se é o caso, mas todos devemos refletir, cada vez se faz menos prevenção, para reduzir custos corta-se na manutenção, um pequeno exemplo, um Pneu tem validade, alguém se preocupa ?
  • JP
    17 abr, 2017 Lisboa 18:39
    Aeródromo ou aeroporto perto de zona habitacional . As autoridades portuguesas já pensaram o que pode acontecer na Portela? As dimensões das aeronaves não se comparam nem as consequências.
  • EngºCosta e Sousa,J
    17 abr, 2017 Leiria 15:11
    Este eventual acidente faz-me recordar um outro ocorrido em Camarate em 1980 que vitimou Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa e outros ocupantes e que nunca foi explicado !
  • G. Ferreira
    17 abr, 2017 Oliveira de Azemeis 15:00
    Confesso que Marcelo Rebelo de Sousa está a desvalorizar cada vez mais a Presidência da República Portuguesa. Foi imediatamente para Tires como se fosse um voluntário para ajudar as vitimas, como se a tragédia ocorrida tivesse sido uma tragédia nacional! Infelizmente, aconteceu um grave acidente no qual faleceram 5 pessoas; no entanto, que faz Rebelo de Sousa quando acontecem acidentes graves nas estradas nacionais durante os quais morrem igual número de pessoas? Claro que não vai lá ver o que se passou, tão pouco dar os seus sentimentos às famílias das vitimas. Hoje foi porque precisava de aparecer na TV, jornais e perante o seu público porque não pode passar um dia sem andar por aqui e por ali para poder ser visto e para comentar o acontecimento! Não havia necessidade disso, como diria o outro...
  • Carlos Schmidt
    17 abr, 2017 Cacém 14:15
    No texto escrito, podem substituir o termo "avioneta" por "avião", para não estarem sempre a repetir "aeronave". De evitar sempre o termo "avioneta".
  • PH
    17 abr, 2017 São Domingos de Rana 14:14
    Os tugas só sabem dizer mal, bolas!!! se parassem para refletir sobre a própria vida não s epreocupavam tanto de o presidente vai ou fica... morreram pessoas Ó GENTINHA!!! e são estrangeiros!!! até o SEF tem de lá ir!!! TRISTEZA!!!
  • António Vital
    17 abr, 2017 Pontinha 14:07
    E lementavel acontecer estas coisas deve ter havido problema algum
  • Jt
    17 abr, 2017 Faro 13:51
    O PR não estàrà já a passar das marcas? Um acidente é assunto presidencial ?
  • leonardo messi
    17 abr, 2017 queluz 13:20
    terrorismo