A+ / A-

Tribunal confirma cinco anos de prisão efectiva para Armando Vara

05 abr, 2017 - 17:46

Relação do Porto confirma condenação do antigo ministro e de José Penedos, ex-presidente da REN. O sucateiro Manuel Godinho viu a pena ser reduzida.
A+ / A-

Veja também:


O Tribunal da Relação do Porto confirmou esta quarta-feira a sentença de prisão efectiva de Armando Vara, no âmbito do processo "Face Oculta".

O antigo ministro e administrador bancário tinha sido condenado a uma pena de cinco anos de prisão, em Setembro de 2014, depois de ter sido considerado culpado de três crimes de tráfico de influências.

Numa primeira reacção à saída do tribunal, Tiago Rodrigues Bastos, advogado de Armando Vara, disse não contar com esta decisão, que considera "inacreditável", e anunciou que recorrer ao Tribunal Constitucional.

Os juízes que analisaram o recurso reduziram a pena do sucateiro Manuel Godinho, de 17 anos e seis meses para 15 anos e 10 meses.

O Tribunal da Relação confirmou a condenação, mas reduziu a pena do ex-presidente da REN José Penedos de cinco para três anos e três meses de prisão efectiva, confirmando a condenação por corrupção passiva e ilibando-o de corrupção ativa e participação económica em negócio.

O processo "Face Oculta", que começou a ser julgado há cinco anos no Tribunal de Aveiro, está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objectivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro Manuel Godinho nos negócios com empresas do sector do Estado e privadas.

Na primeira instância, dos 36 arguidos, 34 pessoas singulares e duas empresas, 11 foram condenados a penas de prisão efectiva. Os restantes receberam penas suspensas, condicionadas ao pagamento de quantias entre os três e os 25 mil euros a instituições de solidariedade social.

A pena mais grave, de 17 anos e seis meses de prisão, foi aplicada ao sucateiro Manuel Godinho, que foi condenado por 49 crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, furto qualificado, burla, falsificação e perturbação de arrematação pública.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pedro Cabral
    06 abr, 2017 Portugal 09:25
    Os anos que este escroque deve à "43"! A "44" já está reservada para o escroque more! A "45" talvez para o ex-DDT, a 41 e 42 para Bava e Granadeiro. No entanto, creio que o mal que esta gente fez para milhões de pessoas seus concidadãos, a prisão como castigo é ,manifestamente pouco!
  • SEIXAL
    06 abr, 2017 SEIXAL 08:36
    E a massa, o graveto, o arame, o caroço,.... onde está ? Devolveram ?
  • A.V.M.M.
    06 abr, 2017 Toronto 03:00
    Esta e sem duvida uma boa noticia por duas razoes:A comunidade fica satisfeita.e acima de tudo credibilisa a nossa justica.Haja mais noticias dessas,pois temos muitos casos iguais ou parecidos.Aguardemos..
  • Euro
    05 abr, 2017 Lisboa 23:34
    Tem razão Manuel Costa. Acrescento:: acabem as of-shores e quejandos
  • Marco Aurélio
    05 abr, 2017 Coimbra 23:24
    As prisões não foram feitas para estes cavalheiros. Mesmo que alguma vez viesse a cumprir pena, não seria enviado para uma (prisão comum), seria recolhido num (hotel de 5 estrelas).
  • Euro
    05 abr, 2017 Lisboa 23:23
    Leiam, estudem, o processo e depois falem. Hoje, tal como sempre, a justiça é de modas. Ontem a moda era não falar, quer dizer não dar importância, ao crime de colarinho branco. Hoje é levar à praça publica o "cordeiro" e, sem a devida ponderação, condenar.
  • Normal
    05 abr, 2017 gggg 23:05
    hehehhe vai começar a dança do recurso em recurso até ao fim da vida
  • Arnaldo
    05 abr, 2017 Mirandela 22:56
    Considero que o Sr Manuel Godinho neste processo, foi mais uma vítima do que um criminoso. Foi vítima dos abutres da política , que através dele obtiveram benefícios em proveito próprio, á custa do património público. Nesse sentido, a pena aplicada ao dito, foi desproporcionada, até pelo grau de responsabilidade e deveres dos outros. Mas meus amigos , sejam pafientos ou xuxialistas o esquema é o mesmo. Triste sina deste povo
  • Para refletir...
    05 abr, 2017 Almada 22:20
    Parece que os media filtram a informação. Eu gostava também de ver a noticia em que o caso que envolvia Dias Loureiro, após vários anos foi arquivado.
  • Toninho Marreco
    05 abr, 2017 Ponte do Lima - Província 22:16
    O Sr. Prof. Dr . Engº pode estar descansado porque uma coisa eu GARANTO-LHE . NUNCA VAI CUMPRIR NEM UM DIA DE PRISÃO . Agora recorre para o Supremo . Depois ainda tem o Constitucional . Depois o dos Direitos do Homem . Depois o Europeu e ACABA TUDO POR PRESCREVER . Nada de desanimar ...