|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Amnistia Internacional pede responsabilização de autores de ataques químicos na Síria

04 abr, 2017 - 16:33

Um ataque esta terça-feira fez perto de 60 mortos. Tanto o regime como os rebeldes têm sido acusados de usar armas químicas, mas todos negam.

A+ / A-

A Amnistia Internacional diz que é preciso responsabilizar os autores dos ataques com armas químicas na Síria.

Pelo menos 58 pessoas morreram esta terça-feira num ataque com armas químicas. O ataque ocorreu numa zona controlada pela oposição e, de acordo com a denúncia do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), entre os mortos há 11 crianças. Mais de cem pessoas terão ficado feridas e a situação agravou-se quando o próprio hospital em que estavam a ser assistidos os sobreviventes foi bombardeado num raide aéreo. No total fala-se em mais de 100 mortos e 400 feridos.

O OSDH garante que se tratou de um ataque com armas químicas, mas que não consegue identificar.

O Exército sírio desmente, contudo, a utilização de químicos nos seus ataques e a Rússia também negou ter levado a cabo qualquer raide aéreo na zona.

Ouvido, esta terça-feira pela Renascença, Paulo Fontes, da Amnistia Internacional em Portugal, sublinha que se sucedem este tipo de ataques e é essencial responsabilizar os seus autores pelos crimes de guerra cometidos na Síria.

“É mais um episódio dos crimes contra a humanidade, tanto pelas forças governamentais como pelas forças rebeldes. É mais um episódio que, para a Amnistia, demonstra que é essencial uma clara responsabilização por estes crimes de guerra e crimes contra a humanidade”, afirma.

"Um horror". Dezenas de mortos e feridos em ataque químico na Síria
"Um horror". Dezenas de mortos e feridos em ataque químico na Síria
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • tuga
    07 abr, 2017 lisboa 07:52
    E que tal olharem para a barbárie que os judeus estão a praticar em pleno século XXI??? Estes são donos do mundo, são donos das maiores fortunas planetárias portanto aliados, amigos!!!! Cambada de hipócritas!!!!
  • Otário cá da quinta
    05 abr, 2017 Coimbra 06:38
    Vão lá ter com eles!