|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Debate no Parlamento sobre liberdade religiosa antecede chegada do Papa

03 abr, 2017 - 18:55 • Ecclesia

Iniciativa partiu da bancada do CDS-PP e a ideia é levar o tema “às mais altas instâncias internacionais”.

A+ / A-

A Assembleia da República vai discutir uma proposta do CDS-PP que visa reforçar a acção do Governo na defesa da liberdade religiosa, em Portugal e no mundo.

De acordo com a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS), o objectivo é “que este assunto seja levado – através do Governo – às mais altas instâncias internacionais, procurando-se que o nosso país tenha uma voz “firme e activa” na denúncia dos atentados atuais à liberdade religiosa.

A referida “iniciativa parlamentar” pretende ainda reforçar “o combate à intolerância, discriminação e violência cometidas contra quaisquer pessoas, em função da sua filiação étnica ou religiosa”.

O debate no Parlamento ainda não tem data prevista, mas de acordo com a deputada Ana Rita Bessa, CDS-PP, ela deverá ser debatida “antes da visita do Papa Francisco” ao Santuário de Fátima, por ocasião do Centenário das Aparições (12 e 13 de Maio), para dar maior “notoriedade” a esta problemática.

Para aquela responsável, é essencial que Portugal faça chegar “este tema” ao órgão que tem “maior primazia” na análise e tratamento dos atentados à liberdade religiosa, “que é o Conselho dos Direitos Humanos das Nações Unidas”.

A deputada, que integra o Grupo Parlamentar de Solidariedade com os Cristãos Perseguidos no Mundo, realça ainda a necessidade desta questão ser abordada “estritamente enquanto tal, e não no âmbito dos direitos humanos onde entram muitas outras temáticas, e onde a liberdade religiosa acaba por ter o destaque” devido.

Recorde-se que Portugal tem actualmente assento no Conselho dos Direitos Humanos da ONU, mas a ideia é alargar o debate acerca da liberdade religiosa a “outros palcos internacionais, nomeadamente no Conselho Europeu”.

A proposta do CDS-PP faz referência ao recente relatório da Fundação AIS sobre a Liberdade Religiosa no mundo, e onde é referido que em 2016, entre “196 países analisados, a situação piorou claramente” em 14 nações e pelo menos “21 países não revelaram sinais de mudança visível”.

Nesse mesmo ano, segundo o mesmo relatório, cerca de 600 milhões de cristãos foram constrangidos a agir contra a sua própria consciência” e “mais de 90 mil cristãos foram mortos por causa da sua fé”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • otário cá da quinta
    04 abr, 2017 coimbra 15:04
    Não tem mais que fazer! Liberdade religiosa é tema que oiço desde que nasci e já lá vão quase 80 anos ! CADA UM DEVE COMER DO QUE GOSTA E PONTO FINAL . Se há estes debates, é porque há alguém que quer impor a sua doutrina.