|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Papa contra a "lógica inútil e inconsequente do medo"

02 abr, 2017 - 13:09

A mensagem foi deixada este domingo em Carpi, localidade italiana atingida por sismos que fizeram mais de 20 mortos, em 2012.

A+ / A-

Veja também:


O Papa Francisco rejeita a lógica do medo e do pessimismo perante o mal. A mensagem foi deixada em Carpi, localidade italiana atingida por sismos que fizeram mais de 20 mortos, em 2012.

Na celebração de homenagem às vítimas, o Papa disse que é preciso estar ao lado de quem sofre sem ceder ao pessimismo e deixou uma mensagem de esperança à população.

“Há quem se deixe fechar na tristeza e há quem se abra à esperança. Há quem fique preso nas ruínas da vida e há quem, como vós, com a ajuda de Deus, sai das ruínas e reconstrói, com paciente esperança. Perante os grandes ‘porquês’ da vida, temos duas hipóteses: ficar a olhar melancolicamente para os sepulcros de ontem e de hoje, ou aproximar Jesus dos nossos sepulcros.”

Na missa a que presidiu na Praça dos Mártires, com a participação de milhares de pessoas, o Papa desafiou ainda os italianos a superarem a lógica inútil do medo.

“Nos nos deixemos aprisionar da tentação de ficar sozinhos e desconfiados, a lamentarmo-nos por tudo o que acontece; não cedamos à lógica inútil e inconsequente do medo, quando repetimos resignados que está tudo mal e já nada é como dantes. Esta é a atmosfera do sepulcro; em vez disso, o que o Senhor deseja é abrir o caminho da vida, o do encontro com Ele, da confiança n’Ele, da ressurreição do coração”, disse Francisco.

O Papa homenageou as vítimas dos sismos que, em 2012, afectaram a região italiana de Emília-Romanha. A celebração teve lugar diante da Catedral de Carpi, reaberta ao culto apenas há uma semana depois das obras de reconstrução.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.