|
A+ / A-

Londres. Quatro mortos e cerca de 29 feridos em atentado

22 mar, 2017 - 14:46 • Filipe d'Avillez , Matilde Torres Pereira , Cristina Nascimento , Carlos Calaveiras

Um dos feridos é português.

A+ / A-
Ataque em Londres faz vários feridos graves
Ataque em Londres faz vários feridos graves

Pelo menos quatro pessoas morreram e cerca de 29 ficaram feridas num ataque em Westminster, mais especificamente na ponte de Westminster e junto ao Parlamento britânico. Há um português entre os feridos.

Segundo disse pelas 22h30 o especialista de operações da Polícia Metropolitana de Londres, Mark Rowley, o ataque terá começado quando um atacante atropelou várias pessoas com um veículo 4x4 no passeio da ponte de Westminster antes de embater no gradeamento do edifício do Parlamento.

O homem terá saído, entretanto, do carro, altura em que esfaqueou um polícia e feriu outros dois na entrada para o Parlamento. Depois, tentou chegar à porta de entrada dos deputados, mas foi atingido a tiro por dois agentes à paisana antes de conseguir chegar ao local.

O polícia e o atacante foram assistidos no local. Ambos morreram mais tarde devido aos ferimentos, confirmou a polícia.

Há um português entre os feridos, avançou a TVI. Francisco Lopes foi hospitalizado. Sofreu cortes numa mão e numa perna. Ia apanhar o metro a Westminster para chegar a casa quando foi atingido pelo carro


[notícia actualizada às 9h00 de dia 23]

Vários feridos em ataque em Londres
As primeiras imagens do ataque

Pelo menos uma mulher, a primeira vítima a ser dada como morta, foi atropelada e morreu também devido aos ferimentos. Desconhece-se a identidade da quarta vítima mortal confirmada pela polícia.

Foi retirada do rio Tamisa, a meio da tarde, uma mulher que apresentava ferimentos graves.

O Governo francês confirmou que há três estudantes franceses entre os feridos. Têm entre 15 e 16 anos e não há indicação do seu estado de saúde.

Não há informação certa sobre a gravidade dos ferimentos das restantes vítimas. Fontes médicas disseram à BBC que há ferimentos "catastróficos".

Este atentado ocorre precisamente um ano depois do ataque terrorista em Bruxelas, levado a cabo por militantes islâmicos.

As autoridades foram chamadas ao local às 14h40 (a mesma hora em Portugal Continental) por causa de um incidente na ponte de Westminster, tratado de imediato como um atentado terrorista.

Os trabalhos foram suspensos e o Parlamento foi encerrado. Deputados e visitantes começaram a sair do edifício, sob o olhar atento das autoridades, a partir das 17h00. A zona está a ser evacuada.

Está confirmado que a primeira-ministra, Theresa May, está em segurança e foi levada do local e encontra-se na sua residência oficial, em Downing Street. A chefe do governo britânico vai encontrar-se ainda esta noite com os ministros para uma reunião extraordinária.

Na sequência do atentado o Parlamento escocês anunciou que vai aumentar os níveis de segurança, mas que não tem indícios de qualquer ameaça. Washington já disse também que está a acompanhar o caso com toda a atenção.

[Notícia actualizada às 22h33]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pinto
    22 mar, 2017 Custoias 20:35
    Ainda está no começo, já nada estranha. A Europa irá ser islamizada a longo prazo. Daqui a uns anos muitos dos que defendem direitos humanos, aqueles que acusam os ocidentais de racistas, irão torcer a orelha.
  • rosinda
    22 mar, 2017 17:46
    Se os donos das agencias viagens tivessem de acordo com a saida do reino unido da uniao europeia era caso para admirar! Assim e a xulice a funcionar!
  • rosinda
    22 mar, 2017 palmela 17:31
    O pior de tudo foi terem amolgado o gradeamento!
  • tuga
    22 mar, 2017 lisboa 16:37
    É o resultado do multiculturismo que a esquerdalhada defende, metam mais lixo na europa, abram mais as fronteira e gastem mais dinheiro ao povo em segurança!!! Os povos também têm culpa, sustentam e andam com todo o lixo ao colo!!! Depois quem não gostar de viver em insegurança, quem não gostar de sustentar esta escumalha, é carimbado de racista e xenófobo!!!!
  • Rui Alves
    22 mar, 2017 Sintra 16:25
    A Europa está completamente dacadente!
  • Joca
    22 mar, 2017 Terra 16:00
    Ou me enganarei muito, ou ainda vamos ter de alombar com essa moirama que, mais cedo ou mais tarde, acabará por ser expulsa dos países ricos... O Costa e o seu amigo Medina estão mortinhos que eles venham para cá.
  • Elsa
    22 mar, 2017 Braga a invicta 15:51
    Ainda bem que temos o joão para nos dar a noticia... ele está tão bem informado que será uma pena a CNN não o contratar.
  • CAMINHANTE
    22 mar, 2017 LISBOA 15:45
    A Insegurança permanente a que nos votaram... mas se os alvos passarem a ser os políticos, e não o cidadão comum, a "coisa pia mais fino"...
  • joão
    22 mar, 2017 lisboa 15:24
    Eis uma não noticia, ou como os jornalistas são tendenciosos sem qualquer logica, um titulo sem substancia apenas e só para condicionar os leitores. afinal as únicas pessoas que usaram armas de fogo foram os agentes policias no cumprimento das suas funções, os feridos são na sua maioria atropelamentos e um agente policial esfaqueado, no entanto o jornalista só menciona as únicas ferramentas que foram utilizadas legalmente, as armas dos policias para travarem um criminoso.
  • Mafurra
    22 mar, 2017 Lisboa 15:22
    Mais uma ALÁrvidade ! Para o que lhes havia de dar ! ! ! Melhor seria se trabalhassem...