O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Jovens fazem directa para rezar

20 mar, 2017 - 17:56 • Liliana Carona

Mais de 20 jovens, entre os 14 e os 20 anos, vão aguentar das 18h do dia 24 de Março, até às 18h do dia 25 acordados e a rezar. A Renascença antecipou a directa e foi a uma das reuniões de preparação do grupo.
A+ / A-

Afinam-se as vozes e os instrumentos para uma directa. “Desta vez é uma directa com Maria e o seu filho, o título da nossa oração”, revela o diácono Paulo Vicente, de 24 anos.

Ordenado há um mês, é animador do grupo de jovens “Acreditar”. Diz que a iniciativa das 24h de oração é uma resposta ao convite do Papa Francisco. “As 24h são fruto de uma experiência que já fizemos há dois anos e respondendo ao convite do Papa, de interagir com os jovens. Vai começar com a Eucaristia e terminar com a Eucaristia e ao longo das horas a oração vai sendo organizada pelos movimentos”, explica.

Quando se pergunta aos jovens se algum dia estiveram acordados 24h? A resposta é dita quase em coro, entre muitas gargalhadas. “Já, em festas e assim”. Mas esta directa é diferente...

David Almeida, 17 anos, explica porque é que vai participar. “Porque vai ser engraçado, estar assim à frente de Maria, vimos porque queremos, e há muitos jovens que com uma conversa também viriam”, garante.

Joana Silva é das mais novas. Com 14 anos, confessa que está com receio de ficar acordada 24 horas pela primeira vez: “Um bocadinho, porque vai ser uma experiência diferente”, assume.

Fátima Couto, 19 anos, também quis participar na directa a rezar porque, diz, “é uma experiência inovadora, e dinâmica, toda a gente devia participar, não é só rezar, mas estar com Deus interiormente”, afirma à Renascença.

A iniciativa é dirigida sobretudo aos mais jovens, mas Helena Ferreira, de 40 anos, diz que é preciso dar o exemplo. “Quando somos orientadores, a nossa função é cativar e dar o exemplo, e isto prova que quando entendemos os jovens, cada um na sua idade, nas suas fases, todos podem fazer à sua maneira este percurso”, conclui.

A iniciativa decorre na igreja paroquial de Mangualde, com adoração eucarística ao longo das 24 horas.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fernando Martins
    21 mar, 2017 Porto 09:17
    Isto sim, é exemplo de gente com capacidade para a vida, e se são capazes deste sacrifício na Oração, serão também fortes para serem exemplo ao longo das suas vidas. Parabéns.
  • Rafael
    20 mar, 2017 Seixal 23:24
    Cara Lurdes, a Adoração Eucarística é das maiores bênçãos que a Igreja nos pode dar. Há diversos locais onde Jesus é adorado permanentemente, acompanhado e reparado dos flagelos da humanidade. Em Fátima por exemplo existe Lausperene 24h/dia na Capela do Santíssimo Sacramento por baixo da Basílica da Santíssima Trindade. No passado fim de semana, na sua paróquia, nomeadamente na Igreja de S.Tiago, houve Adoração ininterrupta desde as 9h de Sábado até às 19h de Domingo (34horas) numa Vigilia de Oração Pela Vida! Bem hajam estes jovens!
  • dja11
    20 mar, 2017 em minha casa 22:29
    A D. Lurdes desculpe me desde já, mas prefere entrar dentro de uma igreja e ver a assembleia repleta de pessoas adultas e idosas ou também com jovens? Diga me então, por favor o que será pior: pessoas a entrar e a sair de uma igreja ou pessoas a frente do sacrário a comentarem a vida alheia?
  • Lurdes
    20 mar, 2017 Almada 18:46
    Já fui a uma dessas orações de 24 h dedicadas ao Santíssimo Sacramento e se alguma vez tivesse poder proíbia terminantemente. Torna-se num disparate pegado de um enorme vazio intelectual e religioso só para ocupar todo aquele tempo. Achei um enorme desrespeito e nunca mais voltei. O Santíssimo está exposto e as pessoas estão sempre a entrar e a sair, a conversar, a rir, a trocar papéis. É tudo menos oração. A simples ideia do jovem que diz que mais com uma conversa também iriam demonstra a noção que ele tem do evento e da entrega que pressupõe. NUNCA a prática religiosa esteve tão mal em Portugal. Este ainda não é o ano da debandada porque temos a vinda do Santo Padre mas a seguir vai ser o deserto. O deserto que esse mesmo Papa cultiva em cada uma das suas intervenções cheias de populismo e despidas de tudo o resto. É o Papa rock star e todos sabemos o que acontece aos rock star e aos seus "êxitos".