O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Caixa Geral de Depósitos. Carlos César quer PS a defender “serviço público”

20 mar, 2017 - 15:15

Para o líder da bancada do PS, o parlamento "não deve assobiar para o ar" quando se fala do fecho de balcões da Caixa Geral de Depósitos
A+ / A-

O líder parlamentar do Partido Socialista, Carlos César, pediu aos deputados socialistas que defendam o "serviço público" no processo de reestruturação da rede de agências da CGD, alegando que o partido não pode “assobiar para o ar” nesta matéria.

Numa nota enviada esta segunda-feira aos membros da direcção da bancada do PS a que Agência Lusa teve acesso, o líder da bancada pediu aos deputados que fosse essa a sua actuação, mesmo que o Governo não dê qualquer orientação.

"Não se trata de intromissão em matéria de gestão, mas sim de intervenção em matéria de serviço público", argumenta Carlos César, que acrescenta que o Grupo Parlamentar deve defender, na próxima audição parlamentar sobre o tema, que não se trata de uma intromissão em matéria de gestão, mas sim de intervenção em matéria de serviço público.

"Se pode ser admissível que o Governo, apesar de accionista único, não queira dar orientação, têm razão os que acham que o parlamento não deve assobiar para o ar”, sustenta o presidente da bancada socialista na sua missiva.

No quadro do processo de recapitalização da Caixa, a administração do banco público deverá encerrar cerca de 70 balcões até ao final do ano, chegando a 180, no final de 2020, uma medida que já mereceu críticas do PSD e que levantou dúvidas a PCP, Bloco de Esquerda e Verdes.

O encerramento de balcões da CGD, bem como a redução do número de trabalhadores, levou o Bloco de Esquerda a pedir uma audição urgente do ministro das Finanças, Mário Centeno, no parlamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • PROPAGANDA BARATA...
    21 mar, 2017 Lx 14:53
    Só demagogia deste impostor para enganar tolos...Despedem 2300 pessoas e dizem que não despedimentoss essas não eram as medidas atribuídas à direita kamarda César? E o que dizem os kamaradas do Bloco e do PCP vossos apoiantes e os sindicatos afetos à CGTP? Porque se calaram agora kamaradas? HIPOCRISIA, MENTIRA, DEMAGOGIA E POPAGANDA BARATA E SALOIA DOS EXTREMISTAS DE ESQUERDA KAMARADA....
  • Roana Soeiro
    20 mar, 2017 Lisboa 21:43
    Este julga que está nos Açores.Lá a População na sua maioria trabalho no governo.Razão porque este desbocado irritante e trapaçeiro esteve tanto tempo no governo dos Açores.E agora veio para o continente juntar-se ao veneno do PCP e BLOCO.
  • Paulo
    20 mar, 2017 Porto 17:14
    Serviço publico seria não cobrarem a cada Português que tem uma conta no banco. Antigamente qualquer um que emprestasse/depositasse dinheiro ao/no banco recebia juros, agora, como ter uma conta bancária é quase imprescindível, ainda nos cobram e forte e feio. Agora vem este aldrabão defender o quê ? Serviço publico não é ter balcões de banco abertos... quer enganar quem ?
  • DEMAGOGIA POPULISMO
    20 mar, 2017 Lx 17:12
    Serviço público? Mas qual serviço público kamarada César, o demagogo da geringonça...Das duas uma: ou revogam os contratos de trabalho de acordo com o programa já traçado e aceite pelos geringonços que são mais de 2.300 empregados da CGD para a rua ou então mantém-se tudo como está e a CGD vai à falência e o BCE volta atrás com o programa de recapitalização... Tanta demagogia destes xuxalistas e dos seus amigos da extrema esquerda....Tristeza de país sem rumo e sem estratégia com a geringonça.... E quando o BCE deixar de comprar dívida kamarada como é ? Os xuxas chamam outra vez a troika? Ou chamam os geringonços para dizer não pagamos... A demagogia e o populismo da esquerdelha é de rir...
  • Bento Fidalgo
    20 mar, 2017 Agualva 17:03
    Meteram para lá uma duzia de novos gestores a ganhar uma fortuna e foram buscar o dinheiro onde? Despedem 2200 funcionários e está resolvido. Ficam 2200 famílias à nora para encher uma dúzia. Não devem esquecer que ao fecharem balcões muita gente vai levantar o seu dinheiro e deposita-lo em bancos que lhes fiquem mais próximos, especialmente no interior. O problema é só pensar no que se ganha sem ter em conta o que se perde. Mas como não são eles que perdem, siga o baile.
  • Petervlg
    20 mar, 2017 Trofa 16:17
    Não te preocupes