A+ / A-

Missionário mórmon desarma e espanca assaltantes no Brasil

17 mar, 2017 - 15:44

Podia ter sido um assalto normal numa rua de uma cidade brasileira, mas desta vez os criminosos meteram-se com o missionário errado.

A+ / A-
Missionário mórmon desarma e espanca assaltantes no Brasil
Missionário mórmon desarma e espanca assaltantes no Brasil

Os dois assaltantes pensavam que tinham encontrado um alvo fácil quando entraram numa rua isolada em Manaus.

Pararam a motorizada junto a um grupo de quatro pessoas, incluindo dois missionários da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, conhecidos informalmente como mórmones e facilmente identificáveis pelas suas calças escuras, camisa branca, gravata e placa com o título “Elder”, sucedida pelo nome próprio.

Enquanto um dos gatunos esperava ao volante, o segundo saiu e, apontando uma arma às suas vítimas, exigiu os seus bens. Tudo parecia estar a correr bem até que um dos missionários, vendo que o assaltante tinha tentado passar entre ele e uma parede, o esmagou contra a mesma e rapidamente o desarmou.

O que se segue, captado por câmaras de vigilância, revela uma enorme frieza do missionário, que segundo os costumes dos mórmones deverá ter entre 18 e 20 anos, que não cai na tentação de disparar a arma aos seus adversários, mantendo-a apontada para o ar, bem acima da cabeça. O ladrão desarmado rapidamente percebe que nada há a fazer e afasta-se mas o segundo, que continuava ao volante do veículo, para levar a cabo a fuga rápida, desmonta e decide ir buscar a pistola. Segundo erro. O missionário corpulento atira a arma por cima de uma cerca próxima e começa então a dar murros e pontapés no ladrão que se vê obrigado a recuar. Por esta altura já outro homem veio para ajudar o missionário, cujo colega, mais franzino, se mantém sempre longe da confusão. O segundo ladrão acaba por fugir deixando a motorizada no local.

Um porta-voz da Igreja já veio a público dizer que o missionário, cujo nome não foi divulgado, agiu em defesa própria e que não foi deduzida qualquer acusação por causa das agressões que proferiu. Por uma questão de segurança, os dois missionários foram enviados para outros locais no Brasil.

Por tradição, todos os homens da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fazem dois anos de missão, entre os 18 e os 20, podendo ser enviados para qualquer país do mundo. A igreja está sediada nos Estados Unidos e acredita que depois da sua Ascensão, Cristo foi para a América, onde deixou discípulos entre as tribos nativas. Estes factos, segundo os mórmones, terão sido revelados no século XIX por um anjo ao americano Joseph Smith, que fundou uma nova igreja.

A maioria das igrejas cristãs, incluindo a Igreja Católica, não reconhecem os mórmones como cristãos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ilana Sabino
    22 jul, 2017 Parnamirim 19:41
    bem pregado!
  • Márcia Regina
    18 mar, 2017 Jundiaí 22:16
    Primeiramente Joseph Smith com apenas 14 anos e pouco estudo não fundou a igreja,ele a restaurou,sempre foi assim que Deus chamou seus profetas. E nada nem ninguém tem que achar se somos Cristão ou não, pq nós sabemos que Sim,nós procuramos agir como Cristo faria e ele é o cabeça da nossa igreja,a opinião dos outros não vai mudarbem em nada,nós somos e pronto.
  • Erika Strassburger
    18 mar, 2017 Brasil 04:04
    É realmente uma lástima que "a maioria das igrejas cristãs, incluindo a Igreja Católica, não reconhecem os mórmones como cristãos", porque os mórmons (como dizemos no Brasil) estão entre as pessoas mais cristãs que há (principalmente nas atitudes). Esse missionário fez algo que qualquer brasileiro sonharia fazer (eles nos "vingou" - no bom sentido). Vivemos dia após dia com medo de sair às ruas no Brasil, tamanha onda de criminalidade que invadiu nosso país nos últimos anos. Antes, havia regiões do país ou pontos das cidades mais perigosos, agora podemos ser assaltados em qualquer lugar, tanto de dia quanto à noite. Que nosso Deus proteja esse nobre e valente missionário, nossos policiais e todos aqueles que lutam por um mundo mais justo e menos violento.