A+ / A-

​Vaticano cria estrutura para dar voz às mulheres

07 mar, 2017 - 22:42 • Ecclesia

A Consulta Feminina é uma iniciativa do Conselho Pontifício da Cultura e inclui mais de 20 representantes de vários países.

A+ / A-

O Conselho Pontifício da Cultura (CPC) da Santa Sé apresentou esta terça-feira a Consulta Feminina, um organismo permanente que quer dar mais voz às mulheres, composto por mais de 20 representantes de vários países.

O cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício da Cultura, explica à Rádio Vaticano que este novo organismo é oferecer “um olhar feminino” sobre a actividade deste dicastério.

“Consegue-se introduzir, por exemplo, uma leitura muito mais global, colorida, da realidade dos temas que abordamos, afastando-nos um pouco daquela análise teológico-filosófica, própria da linguagem eclesial”, acrescentou.

A sessão de lançamento da Consulta Feminina contou com a presença de Shahrazad Houshmand, teólogo iraniana, e mais 20 mulheres, entre docentes universitárias, empresárias, políticas, artistas, jornalistas e consagradas.

O Dia Internacional da Mulher é ainda assinalado pelo lançamento do número monográfico da revista do CPC, “Cultura e Fé”, com curadoria da Consulta Feminina.

“É dito por muitos que o mundo está a mudar e que o século XXI será o século das mulheres, para o bem ou para o mal. As mulheres da Consulta, interpretando cada uma à sua maneira o génio feminino, entendem que isto acontecerá para o bem”, assinala a apresentação do volume.

O Dia Internacional da Mulher vai ser comemorado esta quarta-feira no Vaticano com uma nova edição do projecto “Vozes de Fé”.

“Este é um evento promovido pela Fundação Fidel Götz, que organiza para esta ocasião uma tarde de música e de testemunhos oferecidos por mulheres que lutam pela paz e o desenvolvimento”, adianta a Rádio Vaticano.

A edição de 2017 é intitulada ‘Misturando as águas. Fazendo possível o impossível’.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.