|
A+ / A-

Cardeal O’Malley promete que vozes de vítimas de abusos continuarão a ser escutadas

03 mar, 2017 - 14:45

Arcebispo de Boston lamenta a demissão de Marie Collins, que fez uma “contribuição extraordinária” à comissão que aconselha o Papa Francisco sobre como combater os abusos na Igreja.

A+ / A-

O Cardeal Sean O’Malley promete que as vozes das vítimas de abusos sexuais na Igreja continuarão a ser escutadas, depois de a última vítima que fazia parte da comissão criada pelo Papa para o aconselhar sobre esta questão se ter demitido do cargo.

Marie Collins confessou-se exasperada pela resistência “vergonhosa” por parte de alguns sectores da cúria romana às alterações propostas pela comissão. Outra vítima que também fazia parte do grupo chefiado pelo cardeal O’Malley tinha saído um ano antes, depois de ter entrado em conflito com outros membros.

Em entrevista ao jornal “Boston Globe”, o cardeal – que é também arcebispo de Boston – mostrou a sua solidariedade para com a irlandesa Collins e sublinhou a importância de se continuar a escutar a voz daqueles que sofreram abusos. “A voz dos sobreviventes é muito importante e temos de arranjar forma de assegurar isso”, afirmou.

“Estamos num período de transição na Cúria. O Papa Francisco está a fazer mudanças e o tempo de mudanças é sempre difícil. Há pessoas que estão a resistir a essas mudanças e há estruturas precisam de ser alteradas e adoptadas. Por isso compreendo perfeitamente a frustração da Marie – penso que a dada altura todos nos sentimos frustrados”.

O’Malley descreve Collins como tendo feito uma “contribuição extraordinária” para a comissão, mas o seu abandono não desmotiva o cardeal. “Certamente que a sua partida é um golpe para a comissão, mas penso que isso apenas aumenta a nossa determinação para trabalhar mais arduamente pela reforma na Igreja e na nossa área em particular, que passa pela prevenção e promoção de boas práticas, formação de bispos e de líderes eclesiais”, disse o cardeal ao “Boston Globe”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.