|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Óbitos

A+ / A-

Marcelo responde a Teodora: redução do défice não é "milagre", "saiu do pêlo dos portugueses"

02 mar, 2017 - 13:35

Marcelo reage à entrevista da presidente do Conselho de Finanças Públicas à Renascença e ao "Público". "Milagre, este ano, em Portugal, só vamos celebrar um que é o de Fátima, para os crentes", disse.

A+ / A-
Marcelo responde a Teodora: redução do défice não é "milagre", "saiu do pêlo dos portugueses"
Marcelo responde a Teodora: redução do défice não é "milagre", "saiu do pêlo dos portugueses"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, esta quinta-feira, no Porto, que a redução do défice em 2016 "saiu do pêlo e do trabalho dos portugueses desde 2011/2012".

“Milagre, este ano, em Portugal, só vamos celebrar um que é o de Fátima para os crentes, como é o meu caso, tudo o resto não é milagre", disse o Presidente da República, sublinhando que houve “um esforço muito grande dos portugueses desde 2011/2012” e não "um milagre".

Marcelo reagia, desta forma, às declarações da presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, em entrevista à Renascença e ao jornal "Público".

Teodora Cardoso disse duvidar da sustentabilidade das medidas que o Governo usou para conseguir reduzir o défice de 2016 para 2,1% do PIB, considerando que, "até certo ponto, houve um milagre”.

Teodora Cardoso: Redução do défice feita com “medidas que não são sustentáveis”
Teodora Cardoso: Redução do défice feita com “medidas que não são sustentáveis”
Teodora Cardoso. “Até certo ponto, houve um milagre” na redução do défice
Teodora Cardoso. “Até certo ponto, houve um milagre” na redução do défice

Em declarações aos jornalistas no final de uma aula sobre a vida de Francisco Sá Carneiro na Escola Rodrigues de Freitas, no Porto, que o ex-primeiro-ministro do PPD/PSD frequentou, Marcelo Rebelo de Sousa disse que “para já, é preciso haver a decisão de saída do processo de défice excessivo”.

“Isso [a redução do défice] foi um esforço muito grande dos portugueses desde 2011/2012 e todos esperamos que seja possível, mas vamos ver”, sublinhou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel Filipe Santos
    04 mar, 2017 Oeiras 18:29
    Tal como tinha visto o comentário do nosso PR que infelizmente não encontro para ouvir novamente, também já tinha visto a entrevista de Teodora Cardoso mas já pude confirmar que a "invocação" da palavra milagre por Teodora Cardoso é dada em resposta a uma pergunta à qual seria difícil seguir um caminho diferente, dada a linha de raciocínio que vinha a seguir. Na minha opinião, esta é uma notícia algo produzida pois Marcelo é convidado a dar esta resposta, não sendo propriamente iniciativa sua contradizer Teodora Cardoso. A produção de notícias como esta não me parece muito útil mas, no entanto, acaba por resultar. Efectivamente acabei por ler o vosso artigo e até senti necessidade de fazer este comentário. Esta divergência foi divulgada por vários orgãos noticiosos mas surpreende-me ver a Rádio Renascença, cujo trabalho tanto admiro, a publicar uma notícia com este título: "Marcelo responde a Teodora"? Na verdade Teodora Cardoso não lhe perguntou nada. Agradeço a vossa publicação deste meu comentário ou esclarecimento à minha observação. Melhores cumprimentos, Manuel Filipe Santos.
  • Elm
    04 mar, 2017 Angra do Heroismo 01:14
    Nunca mais comento nem leio uma notícia vossa. Por várias vezes tentei comentar e quase nunca os comentários foram publicados! Os mesmos nunca ofendem o bom nome de terceiros nem são ofensivos. Adeus! Cá pra mim a Renascença anda a mudar de cor.
  • Elm
    04 mar, 2017 Angra do Heroismo 00:46
    Marcelo no seu melhor! Sempre a defender a "sua" Dama... Cá pra mim isto ainda podia dar em casamento. Sim, porque agora em Pt já é legal o casamento com pessoas do mesmo sexo.
  • carmom
    03 mar, 2017 Famalicão 12:34
    O meu PR continua a desiludir-me.Se o resultado foi como diz, pelo sacrifício dos portugueses,não tem que elogiar o governo.
  • ó manuel costa
    03 mar, 2017 lis 11:34
    Cardona?...Onde anda o pensamento?
  • carlos paes cabral
    03 mar, 2017 lisboa 02:08
    Primeiro o défice não foi de 2,1% mas sim de 3,6% porque foram tirados 1,5% ao défice d aumentada na dívida pública E depois como.a Dra Teodora Cardoso disse redução através de medidas não sustentáveis isso é um problema porque o balanço de 2017 já não vai ser assim
  • JS
    02 mar, 2017 A 23:21
    Lacaio martelo, porque continuas a martelar? Então se a redução do défice "saiu do pêlo dos portugueses" (isto é o que dizes) então posso concluir que a austeridade continuou depois da troika. É ou não é verdade? Martelo, vai para a TVI que lá fazes melhor figura.
  • Manuel Costa
    02 mar, 2017 Agueda 17:54
    Afinal quem é técnico de finanças públicas?... Porque é que Marcelo acha que sabe de tudo e os que não concordam são uns ignorantes!?... Porque é que uma TV não convida Marcelo e Cardona para um debate para ver quem tem razão????
  • david
    02 mar, 2017 lisboa 17:54
    La la la Psd, é vê-los ressabiados e atacarem tudo, e todos. Mas a Geringonça passa e os cães ladram. La la la.
  • ao AC
    02 mar, 2017 lx 17:47
    Passos Coelho, baixou o défice para "cerca" de 3%? Isso é tão verdade como o défice ser de 11,7% em 2010!...Mentiras repetidas tornam-se para alguns, verdades! Os "cerca" de 3% ficaram-se por 4,5%, se contarmos com o famigerado Banif...E se tivermos em conta todo o restante "lixo", (recapitalização da banca e sustentabilidade do sistema financeiro), varrido para debaixo do tapete, que Passos e Maria Luís deixaram, para nos impingirem uma "saída limpa", então, esses 4,5% voam para valores bem mais altos! Isto é esquecido ou ignorado pela direita defensora dos indefensáveis Passos e Maria Luís!