O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

PS recusará comissão que desrespeite Constituição e lei

17 fev, 2017 - 16:35

"Aquilo que conflituar com a Constituição, a lei e os regulamentos da Assembleia não será aceite", avisa Carlos César.
A+ / A-

Veja também:


O PS avisa o PSD e o CDS que pode recusar a criação de uma comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD) que não respeite a Constituição, a lei e os regulamentos do parlamento.

A posição foi expressa por Carlos César, líder parlamentar do PS, confrontado pelos jornalistas com uma segunda comissão de inquérito, hoje anunciada pelo PSD e CDS, sobre o envolvimento do ministro das Finanças na polémica da Caixa, com a eventual divulgação de mensagens entre Mário Centeno e o ex-presidente da CGD António Domingues.

Questionado por duas vezes sobre se o PS aceitaria a divulgação das SMS (mensagens de telemóvel) numa eventual nova comissão de inquérito, depois de, com o PCP e o Bloco, ter recusado essa hipótese na comissão ainda em funções, Carlos César deu a mesma resposta.

"O que for proposto no sentido do apuramento da verdade ou de qualquer circunstância que respeite a lei e a Constituição é aceite por nós. Aquilo que conflituar com a Constituição, a lei e os regulamentos da Assembleia não será aceite", disse o líder parlamentar e presidente do PS.

Sobre a actual comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, cujos trabalhos ainda não terminaram, Carlos César defende a sua continuidade e a produção final de um relatório, como normalmente acontece.

"É isso que na vida institucional e parlamentar normal deve ocorrer. Continuaremos a trabalhar até ao limite temporal em que a comissão o deve fazer, até perto do final do mês de Março, para produzir esse relatório. Isto se o PSD e o CDS não desistirem de saber aquilo que, há uns tempos atrás, diziam que gostavam de saber, que era as condições que levaram à recapitalização da Caixa", sublinha o líder parlamentar do PS.

Em entrevista à Renascença e ao jornal "Público", publicada quinta-feira, Carlos César tinha afirmado que se a direita pretende ver os SMS trocados entre o ministro das Finanças e o ex-administrador da Caixa, deveria criar uma nova comissão parlamentar.

“Interessa muito mais a CGD do que a vida actual de António Domingues"

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ao cruz taborda
    18 fev, 2017 pt 12:50
    Não é isso o que se está a passar! Deve estar a referir-se a "investidores" da sua índole! Ou então debita o que emprenha de ouvido. Quanto a clareza, faça um pequeno esforço, não precisa de ser muito, e veja a "clareza" que nos foi dada pelo anterior governo quanto à impossibilidade de Bruxelas permitir a recapitalização de um banco publico, como a Caixa! E outras mais "clarezas" poderão ser denunciadas! Quando se é sócio de um clube vêm ser ao cima às paixões...
  • ó joão lopes
    18 fev, 2017 lis 12:03
    Deixe-se de jargões!...Ao longo destes anos de democracia ninguém comeu criancinhas! Você sofre de patologia mental preconceituosa! Olha bem para as suas bandas e menos para o umbigo! Onde pára a social democracia do PSD?...Vivem do nome para imporem aquilo que não permitem aos outros! Cure-se!
  • João Lopes
    17 fev, 2017 Viseu 20:34
    A atitude dos partidos da geringonça social-comunista em proibir o acesso às trocas de mensagens entre Mário Centeno e António Domingues sobre a Caixa Geral de Depósitos, não dignifica o parlamento e é uma "suspensão da democracia", "própria dos regimes totalitários". Constitua-se essa nova comissão de inquérito para contornar o “bloqueio” imposto pela esquerda marxista, e os portugueses saberem o que de facto aconteceu!
  • Cruz Taborda
    17 fev, 2017 Porto 18:10
    De facto esta deriva fascista das esquerdas não augura bons resultados no pensamento do investidor nacional e estrangeiro.Quem investe num país onde uma maioria de circunstância gera um principio de cortina de fumo para encobrir o mais elementar em democracia que é clareza dos actos praticados por servidores públicos.Esta atitude de não. se querer aclare a verdade, só é possível em regimes não democraticos a configurar uma atitude fascista.Por isso uma europa democrática jamais devia tolerar comportamentos destes nos seus membros.
  • Muito bem
    17 fev, 2017 PT 17:35
    Durante 4 longos anos fomos confrontados com a manhosice dos PSDs e CDSs que para fazerem o quero posso e mando até legislaram contra a Constituição e ainda caluniavam os juízes do Tribunal Constitucional. Esta gente não é de fiar e são useiros e vezeiros em trapaças e aldrabices.
  • Luis
    17 fev, 2017 PdeM 17:24
    Este Cesar que pôs a familizinha toda, segundo se consta, a mamar á contra do orçamento em tachos do Estado no Governo Regional dos Açores, desde a mulher até à nora (coitado do Fillon ao pé dele...) tem lá moral para vir falar em desrespeito á lei e á constituição?
  • Americo
    17 fev, 2017 Leiria 17:16
    Sr.Carlos César, o Continente não é uma cota sua, como é o Açores. Nem sua nem de Costa.
  • Para os Pafosos
    17 fev, 2017 lis 17:10
    Só se perdem as que cairem no chão! Não merecem consideração nem credibilidade! Isto só mostra que o que eles pretendem é desestabilizar a governação e o país. Se tivesse de ser demonstrado bastava concluir pelo estado de negação e de birra que fazem! Seita de nojentos! Traidores do país!
  • XUXAS MANIPULADORES
    17 fev, 2017 Lx 17:07
    Aí está a democracia dos xuxas proto comunistas..:Abafam tudo o que seja para lhes destapar a careca com as mentiras, o populismo e a propaganda barata e suja que fazerem ainda por cima acolitados pelo selfie man que não tem estatuto de presidente da república mas sim de vedeta da TV pirata... Uma vergonha de país este que deixa os portugueses na mão destes hipócritas mentirosos e trapaceiros. UM NOJO DE GENTE.