|
A+ / A-

​Marcelo contactou Domingues e forçou explicações de Centeno

13 fev, 2017 - 20:43 • Paula Caeiro Varela e Eunice Lourenço

Durante o fim-de-semana, o Presidente da República falou com responsáveis políticos, disse que ia chamar Centeno, mas defendeu a sua manutenção e colocou hipótese de fazer uma comunicação.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente da República contactou, ao longo do fim-de-semana, responsáveis dos vários partidos a propósito da polémica sobre a existência ou não de um acordo para que os administradores da Caixa Geral de Depósitos não tivessem de entregar declarações de rendimento e património. Ao que a Renascença sabe, Marcelo Rebelo de Sousa também voltou a receber António Domingues, o presidente da Caixa Geral de Depósitos que deixou o lugar no fim de 2016.

Depois de a polémica sobre a Caixa ter regressado, com a publicação de mails enviados por Domingues à equipa das Finanças, Marcelo Rebelo de Sousa fez, na quinta-feira, uma declaração em que defendeu o Governo e Mário Centeno. Mas também deixou implícita uma condição: "Ou há um documento escrito pelo senhor ministro das Finanças em que ele defende uma posição diferente da posição do primeiro-ministro ou não há. Se não há é porque ele tinha a mesma posição do primeiro-ministro, para mim é evidente.”

No fim-de-semana, contudo, foi crescendo a preocupação do Presidente com o caso. E também com a sua própria posição, devido às críticas saídas inclusive do PSD sobre a sua “colagem” ao Governo. Críticas tanto da direcção social-democrata, por Marco António Costa, como de sectores de oposição interna, como o seu apoiante José Eduardo Martins, e que acabaram também por ser feitas por Marques Mendes, que é conselheiro de Estado escolhido pelo próprio Marcelo e que foi líder parlamentar quando o actual Presidente liderou o PSD.

No seu habitual comentário, na SIC, Marques Mendes disse que preferia que, neste caso, o Presidente tivesse ficado calado. Mas, ainda antes do comentário de Mendes, já Marcelo estava a fazer contactos para tentar resolver ou, pelo menos, esvaziar de novo este caso.

O Presidente falou com vários responsáveis políticos, aos quais, segundo foi relatado por fontes partidárias à Renascença, foi dizendo que estava a pensar chamar o ministro das Finanças. Marcelo foi também avisando que mantinha a sua opinião de que seria um erro deixar cair Mário Centeno por causa deste caso. A alguns responsáveis partidários admitiu mesmo que ponderava fazer ele próprio uma comunicação depois de se reunir com o ministro.

Afinal, quem fez a comunicação foi Centeno que, na conferência de imprensa, assumiu que se encontrou esta segunda-feira com o Presidente a conselho do primeiro-ministro. Recorde-se que, constitucionalmente, a relação do Presidente com o Governo é feita através do primeiro-ministro, pelo que formalmente não pode ser o chefe de Estado a chamar um ministro, mas pode fazê-lo através de António Costa.

Centeno foi, então, dar mais explicações a Marcelo Rebelo de Sousa que, entretanto, no fim-de-semana também tinha voltado a falar com António Domingues para avaliar que documentos existem e que poderiam ainda ser divulgados sobre este assunto.

Com o primeiro-ministro fora – em visita aos militares portugueses na República Centro-Africana – Marcelo e Centeno reuniram-se ao início da tarde e acertaram que seria o ministro a convocar a comunicação social, assumindo que tinha ido a Belém.

O Presidente e o primeiro-ministro, entretanto, voltaram também a conversa e, depois de Centeno dar a conferência de imprensa, o gabinete do primeiro-ministro divulgou um comunicado em que António Costa diz que, depois de falar com Marcelo, entendeu manter a confiança no seu ministro das Finanças e reafirma aquela que é, no fundo, também a tese de Marcelo: o que Mário Centeno tem feito é demasiado importante para que saia do Governo por causa deste caso.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ANTÓNIO NU
    14 fev, 2017 MEALHADA 19:17
    Que paciência é aturar quem nada tem para fazer! Esta história já tem barbas..., trabalhar que é preciso, fica para os outros!!
  • Joao
    14 fev, 2017 Moscavide 07:12
    À direita só lhe resta espumar e ver a banda passar. É isso que irrita a PAF.
  • rosinda
    13 fev, 2017 palmela 23:50
    nao pode ser medicamentos que as pessoas tenham em casa dentro do prazo da validade porque?
  • Rosinda
    13 fev, 2017 palmela 23:45
    4 farmacias e pouco!
  • rosinda
    13 fev, 2017 palmela 23:41
    esta a fazer relampagos!
  • José Oliveira
    13 fev, 2017 RIOI TINTO 23:21
    Pelas atituides destas conversas se nexo, mais parece um baile mandado ( dum, dançador que não sabe dançar) que dum presidente de todos os Portugueses . Pois vejkamos , Se este Presidente , der a mão aos destruidores desta Democracia , " lá vamos que ter que lhe mudar o nome " .- Isto é brincadeira de canalha reçaibeada . Nãop basta o que fizeram até hoje ...quanto mais , destruir tudo. que o que o POVO conquistou . ...Gostava de ouvir a voz desses carteiristas RIGTS , Que até a Sardinha nos tiraram . Que era a nossa Alimentação. ««« ONDE ESTÁ A NOSSA JUSTIÇA »»» ??? TEREMOS QUE REQUISITAR O «««SALOMÃO »»»
  • Mario Rodrigues
    13 fev, 2017 Leiria 22:21
    Quando se anda com um bébé ao colo, por vezes há surpresas desagradáveis e mal-cheirosas!...
  • Manuel Simao
    13 fev, 2017 Porto 22:20
    O Dr. Marcelo já começa a cheirar mal.
  • Barsanulfo
    13 fev, 2017 alcains 21:52
    Sr Presidente da República.Na politica não pode valer tudo, e a extrema direita (ex) PSD
  • desiludido
    13 fev, 2017 Santarém 21:50
    Quer dizer, pelas bocas dos senhores Costa e Centeno o senhor Domingues é que fica por aldrabão!