O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Guarda. Irmãos detidos não têm ligação a grupos extremistas

13 fev, 2017 - 07:58

Os lusodescendentes, de 23 e 27 anos, tinham na sua posse armas brancas e de fogo e ainda um exemplar do AlCorão.
A+ / A-

Dois irmãos lusodescendentes foram detidos numa aldeia de Almeida, na Guarda. A imprensa avançava que teriam ligações a grupos radicais islâmicos, mas a Renascença apurou junto de fonte da Polícia Judiciária que a detenção está relacionada com criminalidade comum.

“Feitas todas as verificações nacionais e internacionais conclui-se que não têm ligações ao terrorismo ou qualquer simpatia com movimentos extremistas”, disse a mesma fonte.

Os dois homens, de 23 e 27 anos, foram ouvidos em primeiro interrogatório e libertados, mediante apresentações semanais na GNR.

Foi o serviço de urgências do hospital local que alertou para o facto de um dos jovens ter sido baleado, segundo avança o "Jornal de Notícias".

Os dois homens tinham na sua posse armas brancas e duas pistolas de 9 milímetros - um calibre que entra na classificação de armas de guerra - e ainda um exemplar do AlCorão. Um dos suspeitos terá mesmo confessado ter-se convertido ao islamismo há cerca de quatro anos, escreve o diário na sua edição.

Os irmãos têm nacionalidade portuguesa e francesa e residem nesta aldeia há três meses.

Questionados quanto aos motivos da sua estadia, responderam que a mãe (residente em França) lhes tinha pedido para tratarem da campa do pai, sepultado na povoação.


[notícia actualizada às 9h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco
    13 fev, 2017 Santarém 22:42
    Está-se a perceber que esta rapaziada ainda nada fizeram em França, vivem à custa de subsídios e entretidos com escumalha da laia deles à procura de maneira de fazer mal aos outros e a mãe farta dos aturar mandou-os vir para cá guardar o pai que coitado está morto depois de certamente uma vida de luta e que já não faz mal a ninguém, armados e com o Corão debaixo dos braços está-se mesmo a ver que vêm para aí com a melhor das intenções, infelizmente existem hoje muitos filhos de emigrantes portugueses em França que já nada têm a ver com a mentalidade e os princípios com que os seus pais partiram há 30 e 50 anos atrás deste país, em vez de se misturarem com alguém de bem optam por conviver com outros piores do que eles e depois acabam como eles. Se as autoridades por cá não andarem com o olho encima deles brevemente teremos mais notícias e que não serão certamente agradáveis.
  • P/j/c/rodrigues
    13 fev, 2017 pqtp 17:23
    Oh João costa rodrigues. Os dois homens tinham na sua posse armas brancas e duas pistolas de 9 milímetros - um calibre que entra na classificação de armas de guerra - e ainda um exemplar do AlCorão. Um dos suspeitos terá mesmo confessado ter-se convertido ao islamismo há cerca de quatro anos, e vens para aqui com esta conversa vazia e feito parvalhão que só foram presos porcausa do alcorão e comparar alhos com bugalhos. Oh homem vai dormir!
  • antonio pais
    13 fev, 2017 Lisboa 14:39
    Nunca têm ligação a grupos radicais... a imprensa tem medo do nome... Foram baleados por estarem a ver a novela!!
  • João Costa Rodrigues
    13 fev, 2017 MAINZ 14:27
    E só por terem um exemplar do Alcorão é que foram presos? antes iam para a prisão quem tinha um exemplar do Capital de Karl Marx. Como os tempos mudam:
  • É isto é!
    13 fev, 2017 dequalquerparte 12:06
    Tuga tento o mal do terrorismo, muitas vezes, é este, eles até são sinalizados por pequenos delitos e nunca são associados ao terrorismo nem a grupos radicais mas a mda depois acontece e aí já é tarde, o pior são os inocentes que perdem as suas vidas. Pois, pois os outros é que andam distraídos...Agora concordo com o comentário do "vantagem" Os muçulmanos ou terroristas não querem saber deste país para nada. Este país é tão bom que nem os muçulmanos querem viver nele. Eles têm olhos e vêm a miséria que por aqui anda. Viver num país pobrezinho, para isto eles têm o seu....Viva a U.europeia, a precariedade, a pobreza e portugal....
  • Burlesconi
    13 fev, 2017 País Real 11:34
    Pelas ferramentas encontradas na sua posse, já deu para perceber que vêm tratar de campas e da horta da família. O Trump, se soubesse desta história, partia-se a rir, ahahah!
  • TUGATENTO
    13 fev, 2017 Covilhã 11:25
    Está muito distrído e confuso! Estes "meninos", que, segundo diz, os nossos políticos nos querem impingir, são só filhos de emigrantes portugueses em França. Daqueles que enchem as festas pimba em Agosto, sabe?
  • Cadauma!
    13 fev, 2017 do cemitério 11:22
    Oh maria manuela nunes, sinceramente, este teu comentário é totalmente descabido, não fala nada sobre o tema... Eles têm um livro do corão, têm armas, um dos suspeitos terá mesmo confessado ter-se convertido ao islamismo mas conclui-se que não têm ligações ao terrorismo ou qualquer simpatia com movimentos extremistas? Esta só pode ser mesmo para convencer parvos...
  • A vantagem...
    13 fev, 2017 lisboa 11:05
    Os terroristas para aqui não vém, isto é um País insignificante. É a nossa vantagem...
  • pedro
    13 fev, 2017 madrid 10:50
    Matar sem ir a tribunal. É como prevenção das doenças.