A+ / A-

Caixa. António Costa diz que críticas a Centeno são "tricas" da oposição

10 fev, 2017 - 11:35

"O doutor Paulo Rangel e a oposição dedicam-se às tricas", afirma o primeiro-ministro, que manifesta "confiança" no ministro das Finanças.
A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, mantém confiança no ministro das Finanças, Mário Centeno, acusado pela oposição de ter mentido no Parlamento acerca da polémica com as declarações de rendimento e património.

"O doutor Paulo Rangel e o PSD e o CDS dedicam-se às tricas, nós dedicamo-nos a resolver os problemas do país. Precisamos de um sistema financeiro estável e trabalhamos para ter um sistema financeiro estável", afirmou o primeiro-ministro, reiterando "confiança" no ministro das Finanças, cuja demissão "está fora de questão".

“Por isso, confiança no ministro das Finanças, admiração de todo o país pelo trabalho que tem vindo a ser feito, não vou perder tempo a dedicar-me àquilo que são tricas, e sobretudo vamos fazer aquilo que temos que fazer: termos uma CGD forte e bem administrada”, afirmou Costa, que falava após uma visita a uma fábrica de produção de componentes de automóveis, em Vila Real.

“Nós não podemos perder tempo com tricas, temos de nos concentrar no essencial e o que é essencial é termos uma CGD forte, continuar a reduzir o défice, aumentar as exportações e o emprego”, diz.

Para o primeiro-ministro, PSD e CDS-PP “não têm nada de substancial a dizer” e que, por isso, “dedicam-se àquilo que ontem (quinta-feira) a doutora Manuela Ferreira Leite dizia, e com muita propriedade, serem pequenas tricas”.

António Costa acrescentou que “quando ouvem essas tricas sobre o ministro das Finanças” o que as pessoas verdadeiramente “vêem no ministro das Finanças é um referencial de confiança”.

“Ele conseguiu o menor défice de sempre da nossa democracia, honrou o nosso compromisso de virar a página da austeridade e está a criar condições para que as empresas possam investir”, acentuou.

António Costa elencou ainda o “excelente trabalho” de Mário Centeno “relativamente a um desafio que tinha sido adiado pelo anterior Governo e que tem a ver com a estabilização do sistema financeiro”.

“Uma após outra, serenamente, cada uma das instituições financeiras tem vindo a encontrar a boa solução. Ainda esta semana foi concluída com sucesso a OPA do BPI, a semana passada tinha sido concluída a operação de capitalização do Millennium, a CGD tem hoje autorização da União Europeia para podermos capitalizar de forma a ser um banco 100% público e um referencial de estabilidade”, afirmou.

E frisou ainda que a CGD tem “hoje uma administração que cumpre a lei, as regras da transparência e que está concentrada na execução do plano de negócios da CGD”.

Centeno é alvo

O CDS, pela voz do deputado João Almeida, considerou na quinta-feira que o ministro das Finanças mentiu à comissão parlamentar de inquérito, o que pode ter consequências penais.

O Ministério das Finanças respondeu, acusando o CDS de realizar uma "vil tentativa de assassinato de carácter" de Centeno.

O PSD apresentou esta quinta-feira um requerimento potestativo para ouvir novamente o ministro das Finanças na comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão da CGD. O eurodeputado do PSD Paulo Rangel também acusa o ministro das Finanças de mentir e, em declarações à Renascença, pediu a sua demissão.

Já o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tomou como boa a posição do Governo nesta polémica.

“Estou convencido do seguinte: que não há nada, que eu tenha conhecimento, assinado pelo primeiro-ministro ou pelo ministro das Finanças defendendo uma posição que para mim era impensável, porque era óbvio que tinha que haver entrega da declaração de rendimentos e património”, disse Marcelo.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pantufas
    14 fev, 2017 Lisboa 01:03
    É SO FUNCIONARIOS PUBLICOS.CHULOS DO ESTADO
  • José
    10 fev, 2017 Sintra 17:37
    António Costa cometeu o erro de querer que a CGD tivesse uma administração desligada dos partidos políticos... os pafiosos não lhe perdoam. Como último remédio lá foi um presidente ligado ao PSD. Se o governo privatizasse a CGD - um dos desígnios de PCoelho - o revanchismo dos direitolas acabava.
  • AC
    10 fev, 2017 lx 16:23
    Para este PM é trica, é uma coisa menor sem importância, o mentir na Casa da Democracia numa comissão de Inquérito. Isto diz tudo do caracter deste PM e desta geringonça para o qual qualquer deputado ministro PM pode mentir à vontade na AR sem ser sofrer as normais consequências políticas e penais de qualquer país dito civilizado. Vergonhoso revoltante reles este PM. E os portugueses continuam a acreditar nesta mentira diária que entra pelas nossas casas a dentro fornecida por esta comunicação social totalmente vendida a esta esquerda mentirosa sem caracter
  • ac
    10 fev, 2017 lx 15:46
    A esquerda não está acima da lei. Se mentiu,como os onze mail publicados assim o indicam, deve sofrer as consequências políticas e penais de ter mentido na Comissão de Inquérito
  • isidoro foito
    10 fev, 2017 elvas 15:37
    boa costa da nas orelhas a esses fascistas todos , nunca mais lhe passa a azia de não terem sido governo, estão como os benfiquistas doentios com o Jorge jesus ter abandonado o benfica eheheheh quanto ao cds , deviam era abrir o precesso dos submarinos , portucalia e outrs mais filhos da p...........
  • COSTA DEMAGOGO
    10 fev, 2017 Lx 15:21
    Fala o grande pinóquio que já suplanta o seu correlegionário de partido que nos levou à bancarrota em 2011 e que está a braços com os casos de corrupção conhecidos...Mas este Costa é mais pantomineiro do que o 44, mais malabarista, amis vendedor da banha da cobra, mais impostos, mais velhaco, mais mentiroso compulsivo e logo mais populista e perigoso. Se fosse no passsado os geringonços amigos do Costa já teriam pedido a cabeça do Ministo..mas hoje já não é assim e as mentiras são mais do que muitas e o povo a deixar-se enganar por este vendedor da banha da cobra...
  • Rui Faria
    10 fev, 2017 Porto 15:15
    Costa não valoriza a verdade da mentira.Isso é o menos.Mas já é difícil compreender certas pessoas como a "esquelética"manuela que pelos vistos nos anda a enganar há muitos anos. Costa não sabe o que é. falar verdade. Vem de uma sociedade Indiana onde a verdade/mentira se confunde. Por isso tude que venha da boca deste personagem é de duvidar.Quanto ao caso em questão quem o acompanhou sabe que centeno mentiu.
  • Miguel Correia
    10 fev, 2017 Loures 15:02
    Tricas é o que este pseudo Primeiro-Ministro fez para chegar ao poder. A passear pelo país à custa dos portugueses, De certeza que não paga a gasolina do bolso dele. Já o Presidente da República coitado...é só afectos (o que já não é mau), boa educação (que é cada vez mais raro) e...mais nada!
  • Manuel Costa
    10 fev, 2017 Agueda 14:47
    A Renascença está pior do que a censura de Salazar. Só autoriza publicar aquilo que lhe convêm politicamente. Os Termos e Condições para publicar os comentários são letra morta!...Como muita boa gente já faz, vou deixar de ler ou comentar este site que não serve para nada. Só tem uma corrente, dizer bem deste governo. Não vai longe!...By by
  • manueldeouteiroseck
    10 fev, 2017 Chaves 14:44
    Nenhum, nenhum, nenhum político tem moral para criticar a mentira. Domingues queria começar mal, muito mal, na CGD,a falta de transparência em crer assumir o cargo sem apresentar as relevantes declarações (fundamentais para que tudo, e a democracia funcione). Não acredito na mentira,mas tivesse havido alguma conversa, Domingues demonstra graves falhas de credibilidade.