O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Paulo Rangel: Ministro das Finanças "mentiu" e a "única solução é demitir-se"

09 fev, 2017 - 16:17

Em declarações à Renascença, o eurodeputado do PSD considera que os emails e a carta tornados públicos pela comunicação social “provam que Mário Centeno mentiu” no caso das declarações de rendimento da anterior administração da Caixa.
A+ / A-

O ministro das Finanças, Mário Centeno, "mentiu" no caso da declaração de rendimentos da ex-administração da Caixa Geral de Depósitos e tem que se demitir, defende o social-democrata Paulo Rangel.

Em declarações à Renascença, o eurodeputado considera que os emails e a carta que foram tornados públicos pela comunicação social “provam que o ministro Mário Centeno mentiu”.

“E o primeiro-ministro foi até um pouco ambíguo, não soube defender o seu ministro. Porque ele não disse, sequer, que não era verdade, disse que ele não tinha mentido, que não era verdade, mas que não havia provas. Se não havia provas, elas estão todas aí”, argumenta Paulo Rangel.

O Governo “sai muito mal” desta polémica e a credibilidade de Mário Centeno e do secretário de Estado adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, ficou “em causa na Europa”, considera o eurodeputado do PSD.

“Ninguém respeita um ministro das Finanças que negoceia leis com escritórios privados, que mente ao Parlamento, que mente à opinião pública. A única solução é que o ministro Mário Centeno apresente a demissão, com isso cai a sua equipa e banimos também aquele que foi já posto, na segunda-feira, estrategicamente no lugar para o vir a substituir, que é o secretário de Estado Mourinho Félix, que claramente foi o grande operacional desta lamentável situação”, conclui Paulo Rangel.

PSD obriga Centeno a voltar à Comissão

O PSD apresentou esta quinta-feira um requerimento potestativo para ouvir novamente Mário Centeno na comissão parlamentar de inquérito sobre a gestão da Caixa Geral de Depósitos.

No debate quinzenal desta quarta-feira, o líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, recordou a troca de correspondência entre o anterior presidente da CGD e o ministro das Finanças, noticiada nesse dia pelo jornal "online" ECO, segundo a qual António Domingues teria acordado com Mário Centeno a dispensa de apresentar a sua declaração de rendimentos ao Tribunal Constitucional.

E lembrou que, num anterior debate quinzenal, António Costa tinha respondido ao líder do PSD, Pedro Passos Coelho, não ter explicação para a demissão de António Domingues e até a considerar estranha.

Na resposta a Luís Montenegro, o primeiro-ministro garantiu que o ministro das Finanças “não mentiu” sobre o processo de demissão de António Domingues da Caixa e disse que não há “qualquer prova” em contrário.

Marcelo confia em Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, toma como boa a posição do Governo na polémica em torno da declaração de rendimentos da ex-administração da Caixa Geral de Depósitos.

“Eu tendo o primeiro-ministro como interlocutor, ele sempre me disse aquilo que era a posição do Governo, que era a posição do Presidente. Como não tive conhecimento, até hoje, de nenhuma tomada de posição do senhor ministro das Finanças em sentido diferente, tenho que tomar como bom que o senhor ministro das Finanças pensava o mesmo que o primeiro-ministro.”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Deocleciano Oliveira
    15 fev, 2017 Lisboa 16:50
    Sr Rangel! quantas vezes mentiu o ex-1º. ministro e o sr. irrevogável na legislatura anterior?. diga-nos lá senhor para o povo saber.
  • APARAGALHOS
    11 fev, 2017 SÍTIO MANHOSO 17:06
    ...MAIS UM ALDRABÃO Á PROCURA DE PROTAGONISMO . . .
  • José J Cruz Pinto
    10 fev, 2017 Ílhavo 16:50
    Não, há pelo menos uma outra e melhor solução, que é Paulo Rangel calar-se, por falta de assunto; se, contudo, olhasse para o PSD e tantos dos seus apaniguados, assuntos não lhe faltariam. E calar-se só não é a "única solução", porque efectivamente o senhor não pode ser impedido de dizer o que lhe venha à cabeça. Mas, felizmente, podemos nós deixarmos de o ouvir ou de o ler.
  • Barsanulfo
    10 fev, 2017 alcains 12:00
    Por falar em MENTIR!!!! HAJA VERGONHA. "Aceitarei reduções nas deduções no dia em que o Governo anunciar que vai reduzir a carga fiscal às famílias." "Aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos." "Se formos Governo, posso garantir que não será necessário despedir pessoas nem cortar mais salários para sanear o sistema português." "A ideia que se foi gerando de que o PSD vai aumentar o IVA não tem fundamento." "O PSD chumbou o PEC 4 porque tem de se dizer basta: a austeridade não pode incidir sempre no aumento de impostos e no corte de rendimento." "Já ouvi o primeiro-ministro dizer que o PSD quer acabar com o 13.º mês, mas nós nunca falámos disso e é um disparate."  "Como é possível manter um governo em que um primeiro-ministro mente?" “não usaremos nunca a situação que herdamos como desculpa para o que tivermos que fazer”. “Governo não irá desculpar-se com o passado” "Estas medidas põem o país a pão e água. Não se põe um país a pão e água por precaução." "Estamos disponíveis para soluções positivas, não para penhorar futuro tapando com impostos o que não se corta na despesa."  "Ninguém nos verá impor sacrifícios aos que mais precisam. Os que têm mais terão que ajudar os que têm menos." "Queremos transferir parte dos sacrifícios que se exigem às famílias e às empresas para o Estado."
  • Este
    10 fev, 2017 lis 10:55
    mede ao susto!...
  • Dr Xico
    10 fev, 2017 Lisboa 09:01
    Este rapaz das dietas, faz o que na vida para alem de ser boy do PSD?? porque não se candidata à câmara de Lisboa? Não passa de um fraco, sem ideias próprias enfim TIPO FRANCISCO ASSIS MAS DO PSD.
  • Cipriano Borja
    09 fev, 2017 Toronto 21:23
    Tu e Passos Coelho deviam ter -se demitido ha muito. Tu , Passos, Paulo Portas e outros mais arruinam Portugal e os Portugueses todos os dias.
  • MJ
    09 fev, 2017 Lisboa 20:52
    Já não há pachorra!
  • desatina carreira
    09 fev, 2017 queluz 20:50
    outra vez este anormal
  • André
    09 fev, 2017 Lisboa 20:43
    Paulo Rangel é que se devia ter demitido quando, em Dezembro de 2015, entregou ao Parlamento Europeu uma declaração (coadjuvada por Nuno Melo e pelo CDS) a exigir a defesa do país, permitindo a existência de um golpe de estado pela força, eliminando a Assembleia da República e tornando o PSD-CDS como governo, sem data limite. Chegando a propor 2050 como data para novas eleições.... Acho giro a mesma pessoa que fez isso (e que foi humilhado pela liderança europeia, tendo ignorado a situação como se não fosse nada com eles) agora venha criticar o Centeno.