O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Antigo ministro defende prisão para banqueiros e políticos que cometeram fraudes

09 fev, 2017 - 09:13

Álvaro Santos Pereira recordou a sua passagem pelo Governo e acusou Paulo Portas de "traição à pátria".
A+ / A-

Álvaro Santos Pereira diz que alguns dos problemas da economia portuguesa resultaram de fraudes na banca. O antigo ministro da Economia defende, por isso, que políticos e banqueiros que cometam este tipo de crime devem sentir o peso da justiça.

“É importantíssimo que a justiça assuma as suas responsabilidades e leve até às últimas consequências quem quer que seja no sistema político ou bancário. Que seja responsabilizado e seja preso”, disse em entrevista à RTP.

“Houve fraude na banca portuguesa, por isso, é importante responsabilizar criminalmente. Tem de haver consequências”, sublinhou.

Na sua opinião, a impunidade na banca está na origem dos movimentos populistas no mundo. “Grande parte do descontentamento que vemos em vários países, grande parte da razão por de trás dos populismos que têm acontecido… é porque nas últimas décadas vimos um aumento das desigualdades. Quando chegou a crise financeira, as pessoas viram que os bancos são salvos e enquanto eles tiveram cortes nos salários e pensões. As pessoas sentem-se injustiçadas”.

Santos Pereira, que está agora na direcção da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), concorda com a criação de um" banco mau" e defende que o país devia sair do nível de lixo. “Se Portugal continuar a reformar e continuar a ter uma política fiscal responsável e prudente, não tenho dúvidas de que isso vai acontecer”.

O antigo ministro acusou ainda Paulo Portas de “traição à pátria", por causa a crise política criada pela ameaça de demissão “irrevogável” do então vice primeiro-ministro, numa altura em que o país estava vulnerável e sob assistência financeira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria
    24 fev, 2017 versailles 14:28
    Obrigado Senhor PEREIRA Concordo com a sua opiniao, sou lesada do BES e imigrante quero justiça . espero que me devolvem o meu dinheiro o mais depressa possivel. Obrigada pela sua intervençao
  • fanã
    20 fev, 2017 aveiro 19:53
    Bem..............há que requalificar o Tarrafal, porque no continente estamos superlotados !
  • Teresa Guedes Ferrei
    12 fev, 2017 Cidade do Porto 10:11
    Bom dia ! Um Domingo bom para todos . Concordo com a opinião de Álvaro Santos Silva , a corrupção tem que ser combatida e é preciso que a nossa sociedade seja uma sociedade de valores morais e éticos . Uns tanto trabalham para conseguirem ter mais um pão hà mesa , e outros andam aqui cheios de esquemas para conseguirem meter ao bolso aquilo que lhes não pertence, claro que é preciso que se coloque um travão nisto tudo para que possamos viver numa sociedade mais justa e digna , e assim o País ir em frente , que estas atitudes são tão mesquinhas e tão más , que nos impedem de progredir . Pergunto eu . Em que escola andou esta gente ? Só aprenderam a apoderar-se daquilo que lhes não pertence? Dignidade ,e Verdade, precisa-se com urgência. Tenho dito .
  • L. Mata
    10 fev, 2017 Algarve 23:31
    Pobre querida pequena bela Mae P'atria, agora plantada na lama,"maribunda" que se nao arranjar medical que a cure, vai morrer desgostosa por, de 'a 40 anos a esta parte, ter desovado um grande cardume de piranhas que andam pr'a a'i a viver 'a grande e 'a FRANCESA 'a custa do honrado honesto trabalhador cumpridor dos s/ deveres de cidadao. Que DEUS nos acuda......
  • Moreira
    10 fev, 2017 S. Romão do Coronado Trofa 20:58
    Portugal , precisa de dirigentes ,sem passado e com futuro . Dirigentes que cumpram e façam cumprir as leis da República . Esta , através dos órgãos que dispõe , deve tornar os procedimentos ágeis e simples , sem permissão de expedientes de dilação , por forma a criar a confiança nos cidadãos , que atualmente se encontra em grande descrédito . Este país e este povo Pacífico merecem mais e melhor .
  • portugues
    10 fev, 2017 na rua 18:43
    Conheço alguns ex - políticos que dizem mal de todos , e com razão , mas apenas porque o tacho deles acabou . Querem nomes ?
  • portugues
    10 fev, 2017 na rua 18:41
    Conheço alguns ex - políticos que dizem mal de todos , e com razão , mas apenas porque o tacho deles acabou . Querem nomes ?
  • Manuela Tremenda
    09 fev, 2017 Lisboa 20:59
    Claro que houve um caso.Foi grave,foi. Depois do irrevogável nasceu um novo ministro na economia.Porque aconteceu? Santos Pereira sabe e por isso reage.Eu também penso que havia alguém que queria apanhar o ministério da economia e nem que fosse necessário uma crise.Que valores mais alto se levantaram para tal.O episódio na vida real só existiria por um amor louco.O País numa crise grave, encostar o 1 ministro à parede sem justificação plausível, só de um louco de amor ou por outra razão de loucura.Santos Pereira foi um elemento de troca pela loucura.Por isso lhe dou razão.Apure-se factos e a reprovação deve ser pública.Eu adorava saber.
  • Anibal Martins
    09 fev, 2017 Porto 19:01
    -Os partidos políticos P.S
  • Alberto Martins
    09 fev, 2017 Lisboa 15:52
    Estás a ser sonhador Álvaro. Tens toda a razão no que dizes mas isso é só para a populaça. Para os figurões quando muito e só para alguns, e estou a falar dos banqueiros, vai ficar por umas penas suspensas... Repara no presidente dop banco do cavaquistão oliveira e costa...mais depressa morre de morte natural do que vai preso. O ricardo salgado pena suspensa e psp á porta paga por nós a fazer segurança ao DDT. Com mais facilidade vejo um politico preso, por exemplo o 44. Mas a maioria safa-se como o portas. Foi um traidor á pátria não apenas por causa do "irrevogavel", mas também e principalmente pelos casos de corrupção em que se envolveu e sempre com impunidade...agora anda por aí a recolher beneficios junto daqueles a quem beneficiou enquanto governante...