A+ / A-

Bispo do Porto reforça empenho nos processos de canonização de seis figuras da diocese

26 jan, 2017 - 16:06 • Henrique Cunha

O padre Américo Aguiar e o antigo bispo D. António Barroso são duas das figuras evocadas por D. António Francisco dos Santos, numa nota pastoral divulgada esta quinta-feira.
A+ / A-

O bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos, anuncia, em nota pastoral divulgada esta quinta-feira, o reforço do empenho da diocese nos processos de canonização “de seis fiéis deste território”, que decorrem em Roma.

Os seis processos de beatificação e canonização são relativos a dois homens - o Padre Américo, fundador da Obra da Rua, e o antigo bispo do Porto D. António Barroso - e quatro mulheres: a venerável Sílvia Cardoso e as irmãs Maria do Divino Coração, Maria Rita de Jesus e Ana de Jesus Magalhães.

"Esta é a hora de tudo fazer, no que à diocese concerne, para que estes processos avancem sem demoras, de acordo com as normas canónicas em vigor”, escreve D. António, na nota a que a Renascença teve acesso.

“Tenho encontrado em toda a diocese, nos postuladores e na Congregação, em Roma, o melhor acolhimento a esta vontade diocesana e a este comum empenho de todos nós”, diz ainda o bispo do Porto, para quem “esta é a hora, igualmente, de intensificar a nossa oração para que estes irmãos e irmãs sejam reconhecidos oficialmente pela Igreja como santos e nossos intercessores junto de Deus”.

O bispo do Porto lembra que “é sempre muita demorada e exigente a organização dos processos” e que “são muitos aqueles que são chamados a trabalhar com dedicação e generosidade na organização destes processos” que têm “várias etapas, seja em sede de Postulação, seja no Tribunal Eclesiástico do Porto ou na Congregação da Causa dos Santos, em Roma”.

Centenário de D. António Barroso começa a ser preparado

O documento hoje divulgado recorda que a irmã Maria do Divino Coração (1863-1899) foi uma religiosa da Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, nascida na Alemanha; e beatificada em 1 de Novembro de 1975 pelo Papa Paulo VI.

A nota pastoral realça que Maria Rita de Jesus (1885-1965) foi uma religiosa da Congregação das Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora, que viveu e morreu no Porto, e que Ana de Jesus Maria José de Magalhães (1811-1875), leiga, é conhecida popularmente como a “Santinha de Arrifana”, onde está sepultada.

A venerável Sílvia Cardoso (1882-1950), leiga nascida em Paços de Ferreira, onde está sepultada, distingui-se pelo seu trabalho social.

O padre Américo Monteiro de Aguiar (1887-1956), fundador da Obra da Rua, está sepultado na Capela da Casa do Gaiato de Paço de Sousa, Penafiel.

D. António José de Sousa Barroso (1854-1918), missionário, foi bispo do Porto, de 1899 a 1918.

A nota pastoral do bispo do Porto termina com uma referência ao centenário da morte de D. António Barroso, que ocorrerá a 31 de Agosto de 2018. D. António Francisco dos Santos nomeou o padre António Coelho de Oliveira, vigário-geral da Diocese, para presidir a uma comissão que oriente e coordene as celebrações diocesanas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.