|
A+ / A-

Aliança PSD-BE-PCP-PEV chumba baixa da TSU

25 jan, 2017 - 17:45

Ministro do Trabalho diz que o Governo vai analisar a decisão do Parlamento e "naturalmente conversará com os parceiros sociais".

A+ / A-
Aliança PSD-BE-PCP-PEV chumba baixa da TSU
Aliança PSD-BE-PCP-PEV chumba baixa da TSU

Veja também:


A redução da taxa social única (TSU) para as empresas foi chumbada esta quarta-feira, no Parlamento, por uma aliança formada por PSD, Bloco de Esquerda (BE), PCP e "Os Verdes" (PEV).

O Partido Socialista votou contra o chumbo da medida acertada com os patrões e a UGT e o CDS absteve-se na moção apresentada pelo BE.

A redução da TSU, acordada na concertação social, tinha como objectivo compensar o aumento do salário mínimo nacional para 557 euros, que já entrou em vigor.

A votação foi antecedida por um debate marcado por duras trocas de acusações entre o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, e as bancadas do PSD e do CDS.

Governo não desiste de acordo

No final do debate parlamentar, Vieira da Silva foi questionado pelos jornalistas sobre os próximos passos a dar pelo executivo, nomeadamente sobre a elaboração de um "plano B".

"O Governo continua a considerar que fez bom acordo na concertação social. Uma medida foi chumbada pela Assembleia da República, mas o acordo existe. O Governo vai analisar a situação e naturalmente conversará com os parceiros sociais. As decisões que daí resultarem serão conhecidas", disse o ministro do Trabalho.

Nos argumentos finais, o líder da bancada parlamentar do PS, Carlos César, disse que o acordo de concertação é bom para o país, não deve ser posto em causa e acusou o PSD de ser contra o aumento do salário mínimo nacional.

"Começa a faltar apoio parlamentar ao Governo"

“As empresas não conseguem pagar estes salários e o PS resolver pôr a Segurança a pagar aquilo que a economia não pode pagar”, respondeu Luís Campos Ferreira, do PSD. Começa a faltar apoio parlamentar ao Governo, sublinhou o deputado social-democrata.

O líder da bancada parlamentar comunista, João Oliveira, disse que a crise política só existe na cabeça do PSD. O PCP “não será levado pela arreata” e “não aceita moedas de troca pelo aumento do salário mínimo”, sublinhou.

Pedro Filipe Soares, do Bloco de Esquerda, ironizou que, "cambalhota por cambalhota", pelo menos desta vez o PSD defendeu o interesse dos trabalhadores e destacou o aumento do salário mínimo sem compensação através da TSU. A maioria de esquerda sai fortalecida deste debate, sublinha Pedro Filipe Soares.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ao vivam atenção!
    26 jan, 2017 lx 16:49
    Vai estudar história! Não digas asneirolas! A ignorância é um atraso das sociedades!
  • VIVAM ATENÇÃO
    26 jan, 2017 Vila 14:52
    Têm toda a razão aqueles que dizem que há muito que o PSD perdeu os valores da social democracia. É que os valores da social democracia são os valores dos partidos comunistas. Não confundam o PSD com o SPD. Ainda bem que com o 25 de Abril não vingaram os valores da social democracia caso contrário este país poderia chamar-se República Democrática de Portugal, com todos os benefícios de uma Republica Democrata qualquer como por exemplo a Republica Democrática da Coreia!
  • 26 jan, 2017 Coimbra 14:15
    Atenção! Ao BE e ao PCP, saiu-lhes o tiro pela culatra, não é verdade! Estes dois partidos contavam que o PSD fizesse o contrário e batiam palmas por a lei passar e lavavam as mãos como pilatos. NESTA QUESTÃO, DOU OS PARABENS AO PSD.
  • A partir de agora
    26 jan, 2017 lis 13:30
    A rapaziada PSD não tem qualquer moralidade para falar de "geringonça" O que fizeram é uma máquina de partir miolos!
  • Vivam os PSDs
    26 jan, 2017 Lx 13:25
    E a sua coerencia! Liderança forçada a quanto obrigas! Há muito que os valores da social democracia no PSD foram substituidos pela incultura de rapazolas oportunistas!
  • Fernando Cunha
    25 jan, 2017 Sagres 20:20
    O PSD a fazer de bitch da "esquerda radical"...e a laranjada a bater palmas!!!! Está tudo doido no laranjal...
  • Fausto
    25 jan, 2017 Lisboa 18:57
    O psd aliado à autoproclamada estrema esquerda...fascinante...
  • Luis
    25 jan, 2017 Lisboa 18:36
    O Emplastro de Massa Má criou a Geringonça II. O BE e o PCP já tinham conseguido até aqui ter o PS a aprovar muitas das suas medidas. O BE e o PCP conseguiram agora ter também o PSD a aprovar as suas propostas. O que o Emplastro de Massa Má obriga o PSD a engolir para poder manter a sua liderança.
  • 25 jan, 2017 aldeia 18:15
    Quando era Passos no governo,baixava a tsu,agora vota contra a descida,.....este psd sempre no seu melhor!......
  • Silvia Dino
    25 jan, 2017 Famalicão 17:55
    O PSD está rendido ao quanto pior-melhor. Não sabem mais. Tristeza.