O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Família luso-descendente levou mais de 500 imigrantes ilegais entre França e Portugal

11 jan, 2017 - 15:02

Francesa de origem portuguesa tinha como ajudantes o companheiro e o enteado, que terão ganho 132 mil euros com cerca de 60 viagens em 2016.
A+ / A-

Uma pequena empresa familiar suspeita de ter feito transitar cerca de 500 imigrantes, principalmente de França para Portugal, foi desmantelada pela polícia francesa, anunciaram esta quarta-feira as forças de segurança.

No fim-de-semana passado, quatro pessoas foram detidas na região parisiense por "ajudar a entrada, a circulação e a permanência irregular de um estrangeiro em França".

A polícia tinha informações, obtidas em Maio de 2016, que mais de 20 pessoas de origem indiana ou paquistanesa em situação irregular foram levadas a bordo de uma camioneta, conduzida por uma francesa de origem portuguesa, de La Courneuve (Seine-Saint-Denis, nos arredores de Paris) para Portugal.

A investigação revelou a "existência de uma estrutura familiar que fazia transitar" imigrantes da França para outros países do espaço Schengen, essencialmente Espanha e sobretudo Portugal.

A organizadora desta estrutura tinha como ajudantes o seu companheiro e o filho daquele para fazer as viagens.

Os três foram indiciados e presos, de acordo com a polícia.

As forças de segurança, segundo as informações obtidas, acreditam que só entre Janeiro e Junho de 2016, foram feitas 26 viagens entre a França e Portugal. No ano passado, estimam que teriam sido aproximadamente 60 viagens no total, com 530 imigrantes, para ganhar cerca de 132 mil euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • stmatos
    11 jan, 2017 frança 16:19
    tudo se faz e tudo se paga. não fossem de origem Portuga.
  • olges
    11 jan, 2017 Guimaraes 15:50
    500 terroristas mais na Europa.
  • Joao Filipe Inacio M
    11 jan, 2017 Mundo 15:46
    Tendo em conta que se manteve em Schengen e os vistos são comuns, é fácil dizer que só ajudou as pessoas de um lado para o outro. De jure e de facto, não há fronteiras..
  • AM
    11 jan, 2017 Lisboa 15:34
    Uma empresa familiar? Eles eram amigos uns dos outros, e não morreu ninguêm. Caramba, já não se pode passear nas mércolas... Realmente, há quem faça pior, e ande mais bem visto!
  • Loyd
    11 jan, 2017 Uruguaio 15:33
    E porque eles fugiram da França para Portugal? Porque lá há controlo! E aqui é uma barraca onde ninguém controla nada.