|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​Costa não está assustado com juros da dívida a 4%

06 jan, 2017 - 12:16

Primeiro-ministro prevê descida de juros assim que os mercados perceberem a “realidade”.

A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta sexta-feira que acompanha a evolução em alta dos juros de Portugal, mas manifestou-se confiante numa inversão dessa tendência, alegando que os mercados vão percepcionar "os dados fundamentais" da economia portuguesa.

António Costa falava aos jornalistas a meio da sua viagem para a Índia, que se prolongará até à próxima quinta-feira, durante uma escala em Frankfurt, na Alemanha, onde foi questionado pelos jornalistas sobre a evolução em alta dos juros da dívida portuguesa nos mercados internacionais, que atingiram na quinta-feira os 4% no prazo a dez anos.

"É um assunto que temos vindo a acompanhar, mas estamos muito confiantes, já que vão sendo conhecidos os dados fundamentais da nossa economia", declarou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, os mercados irão progressivamente "percepcionando a realidade da economia portuguesa, designadamente no que respeita à execução orçamental, à redução da dívida líquida e ao facto de termos um dos maiores saldos primários da União Europeia".

Já sobre o processo de venda do Novo Banco, o primeiro-ministro recusou-se a fazer qualquer comentário, apenas dizendo que vai, naturalmente, acompanhar esse tema.

"Sobre essa matéria o Governo já fez na quinta-feira um comunicado e nada temos mais a acrescentar", referiu o líder do executivo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A.Soares
    06 jan, 2017 Porto 17:25
    Então divida soberana não quer dizer dividas dos Países? Se os juros sobre as dividas soberanas não tem a ver com os Países, porque motivo são referidas? Felizmente e graças aos nossos empresários as exportações tem vindo a crescer. O desemprego continua a descer.....e a emigração também, e é essa que faz descer o desemprego. Mais uma vez não é o Governo que cria emprego, mas os empresários. Os pensionistas e funcionários públicos viram crescer o seu rendimento. Outra falácia. Baixam-se os impostos directos e aumentam-se os indirectos, que são cegos e injustos, pois apanham todos na rede.
  • COSTA DEMAGOGO
    06 jan, 2017 Lx 16:38
    os factos dos xuxas são sempre muito confusos e o facto verdadeiro é o resgate do kamarada Sócrates...o resto são os amanhas que cantam desta gente sempre pronta a distribuir dinheiro que não é deles... Os factos são: crescimento poucochinho, investimento público menos 25 por cento do PIB, dívida a crescer e são 40 milhões por dia, receitas dos impostos a descer com o aumento de impostos com os xuxas... o resto são cantigas e como diz o povo com papas e bolos se enganam os tolos... Um governo que governa à bolina e sem estratégia apenas preocupado em satisfazer a função pública e os sindicatos para acalmar o PCP e o BE.
  • MAC
    06 jan, 2017 LISBOA 15:57
    Facto - a dívida pública desceu em outubro, pela primeira vez desde 2012... Facto - o déficit em 2016 é o mais baixo desde abril de 1974... Facto - as exportações em 2016 tiveram o melhor crescimento desde 1993... Facto - as taxas de juro das dívidas soberanas têm pouco a ver com os países e com os déficits - a ser assim os EUA e o Japão, que têm as maiores dívidas do mundo, teriam a taxas mais altas... Facto - o desemprego continua a descer (devagar mas a descer)... Facto - a classe média, os pensionistas e os funcinários públicos (75% da população) viu crescer os seus rendimentos em 2016... Facto - o índice de confiança na economia em novembro é o melhor desde 2012 ... Facto - há muito trabalhinho pela frente para devolver a esperança a este povo e as perspetivas de futuro que não passem pela emigração... Facto - não vai ser com os arautos da desgraça, os rassabiados e os deprimidos que o tema se vai resolver!
  • Para os Pafosos
    06 jan, 2017 lx 15:54
    "Taxa de desemprego cai para 10,5% em Novembro"...Até espumam de raiva! Mas continuam à espera do diabo...que os carregue e para longe!
  • A.Soares
    06 jan, 2017 Porto 15:52
    Obviamente que o Sr.Primeiro Ministro não está preocupado. O Engº.Jose Socrates também não estava nada preocupado e foi o que se viu. O Primeiro Ministro actual fazia parte desse Governo que nos levou á Troika. Ele sabe como é que isso se faz. De despreocupação em despreocupação, infelizmente lá iremos cair nos braços da troika. Entretanto vamos visitar a família á India á custa do pagode. Os socialistas são tão bons a gerir que basta olhar para o que se passa na sua Casa. Pede-se a todos os militantes que paguem a má gestão, é pena não poderem ser todos os contribuintes, diz o Secretário-Geral.
  • Azedo
    06 jan, 2017 cascais 15:48
    claro que não.....o povo é que deve estar
  • Conde da Vila
    06 jan, 2017 Xabregas 15:30
    Os socialistas têm uma coisa boa, nunca se assustam com nada. Quando outro condutor tiver de meter travões a fundo e alguém partir a cabeça é um filho da mãe. A história é sobejamente conhecida.
  • Rui Silva
    06 jan, 2017 Montreal 15:30
    Claro que nao se interessa. Quem vier a seguir que pague a factura
  • COSTA PANTOMINEIRO
    06 jan, 2017 Lisboa 15:24
    A casa a arder e este pantomineiro faz de conta que tudo está bem.Faz lembrar os tempos do 44, esse grande democrata de mei tigela, que nos levou ao resgate e na véspera estava tudo bem até o Teixeira dos Santos lhe tirar o tapete. O resto são os amanhas que cantam do pantomineiro Costa e do seu Ministro Sem TINO... Uma tristeza de governantes estes que governam navegando à vista sem visão estratégica mas apenas pensando em si em vez do País. Enquanto isso o Presidente vai tirando umas selfies e vai dando umas beijocas à rapaziada para a coisa se manter calma...
  • AC
    06 jan, 2017 Lx 14:57
    Uma única palavra : irresponsável E os portugueses continuam a querer votar na geringonça?