O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
visto de bruxelas

Terrorismo volta a assustar a Europa

23 dez, 2016 - 14:15

Como habitualmente às sextas-feiras recuperamos os temas que dominaram a semana. Uma semana naturalmente marcada pelo regresso dos atentados terroristas em solo europeu.
A+ / A-
Visto de Bruxelas (23/12/2016)
Visto de Bruxelas (23/12/2016)

A Comissão Europeia decidiu avançar com uma proposta que, por um lado, pretende aplicar um controlo mais apertado ao dinheiro que financia actividades terroristas e, por outro lado, visa reforçar o sistema de informações e segurança no âmbito do espaço Schengen.

O pacote de medidas aprovado pela Comissão pretende reforçar a capacidade da União Europeia no combate ao terrorismo e ao crime organizado. A comissária da Justiça, Vera Jourová, sublinhou a importância de as autoridades serem rápidas a detectar fundos ligados ao terrorismo. A Comissão propõe que o branqueamento de capitais seja alvo de sanções penais eficazes em toda a União Europeia.

Outra questão recorrente quando se fala de combate ao terrorismo é a necessidade de os 28 aumentarem a cooperação judiciária e policial. Bruxelas quer ainda reforçar os controlos dos movimentos de numerário efectuados por pessoas que entram ou saem da UE com 10.000 euros ou mais. Propõe, ainda, tornar mais rápido e eficaz o congelamento de fundos e confiscação de bens de terroristas.

Esta semana foi marcada por novos ataques na Europa. Os europeus não devem ceder ao medo e devem manter a sua forma de vida, diz o comissário para a União da Segurança, Julian King.

A luta contra o financiamento do terrorismo foi uma das matérias na agenda da última reunião dos comissários europeus este ano. Uma agenda carregada com vários pontos. Outra discussão foi o respeito pelo estado de Direito na Polónia.

A Comissão está preocupada em relação ao Tribunal Constitucional polaco e lança uma última recomendação às autoridades de Varsóvia para alterarem a situação num prazo de dois meses. Há um problema persistente, afirma o vice presidente da Comissão Frans Timmermans.

“O respeito pelo estado de Direito é fundamental”, lembra o vice-presidente. Preocupações de Bruxelas com as interferências de Varsóvia no poder judicial, sobretudo em relação à nomeação de juízes do Tribunal Constitucional e ao seu ao funcionamento.

Nesta semana em que a União Europeia teve uma notícia positiva na frente do emprego e da situação social. O último relatório revela que as economias europeias continuam a criar postos de trabalho, explicou a comissária responsável pelo Emprego e Assuntos Sociais.

No entanto, a comissária Marianne Thyssen diz que muitas pessoas que trabalham vivem na pobreza e que é preciso criar empregos de qualidade. Chama ainda atenção para as tecnologias e as novas formas de trabalhar que transformam as sociedades, desafios que os 28 devem ter em conta nas suas políticas.

Neste programa falamos ainda da banca: o Tribunal Europeu de Justiça obriga vários bancos espanhóis a devolver quatro mil milhões de euros em juros cobrados indevidamente aos clientes com créditos à habitação.

Em Itália, o Monte dei Paschi di Siena não conseguiu captar um investidor de referência para assegurar a recapitalização, e assim cumprir as metas estabelecidas pelo Banco Central Europeu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.