O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
fora da caixa

Itália faz tremer Europa

30 nov, 2016 - 20:43

O referendo em Itália é o tema de fundo no Fora da Caixa desta semana, com Pedro Santana Lopes e António Vitorino.
A+ / A-
Fora da Caixa (30/11/2016)
Fora da Caixa (30/11/2016)

No programa de hoje, António Vitorino explica as consequências de uma crise politica na sequência de uma vitória do “Não” no referendo em Itália. O antigo comissário explica que há uma alteração à lei eleitoral incluída neste pacote de medidas que vão a referendo e que, se for aprovada, “vai ser uma revolução na democracia italiana, porque vai ser devastador para os pequenos partidos. Por isso eles são todos partidários do não”.

António Vitorino diz que Bruxelas e Roma estão numa relação muito tensa. A Comissão está muito incomodada com o que Renzi tem dito. O Primeiro-ministro pensou fazer um plebiscito à sua pessoa, mas “saiu-lhe mal”. Já o antigo Primeiro-ministro acha que “não vai ser fácil a Renzi recuar na sua promessa de demissão”. Mas pode até recandidatar-se “se a derrota não for muito grande”.

Vitorino acha que “o problema não vai ser o dia seguinte nos mercados. Mas a subida constante dos juros das dívidas soberanas é que é assustadora, até para Portugal”. Explica “o caso muito bicudo do Banco Monte de Paschi”, que precisa de uma grande recapitalização e que, se não avançar, “pode mandar abaixo a fragilizada banca italiana”.

Pedro Santana Lopes diz que o problema do referendo em Itália não é a matéria que vai ser referendada, é mesmo o enquadramento político no resto da Europa e do Mundo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.