O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-
Primeira Liga

Carlos Pereira. "Marítimo tem de apagar má imagem deixada na Luz"

01 dez, 2016 - 12:45

Presidente dos insulares acredita que há muito mais qualidade do que aquela que o plantel de Daniel Ramos demonstrou no 6-0 sofrido diante do Benfica, para a Taça de Portugal.
A+ / A-

O presidente do Marítimo apela ao plantel comandado por Daniel Ramos para dar uma "imagem" diferente daquela que os insulares deixaram na Luz, há poucas semanas, para os 16 avos-de-final da Taça de Portugal.

Na véspera da recepção ao tricampeão Benfica, que lidera o campeonato, Carlos Pereira recorda o nefasto 6-0 averbado no reduto encarnado como uma espécie de excepção à regra de um grupo que tem muito mais qualidade do que aquela que foi demonstrada na prova rainha do futebol português.

"É essa a imagem que temos de apagar, essa má imagem e voltar a criar a identidade desta equipa, que não é aquela que jogou na Luz, para a Taça de Portugal", começa por apelar, em entrevista a Bola Branca, acreditando que o Marítimo tem capacidade para vencer as águias e brindar os seus sócios e adeptos com um antecipado presente de Natal, no dia em que a nova bancada do remodelado Estádio dos Barreiros é inaugurada.

"Os atletas estão concentrados nisso, ofendidos pelo que não conseguiram fazer e embebidos no pensamento de vencer este jogo, na abertura da nova bancada da nossa casa. É um jogo grande, de boa montra, em que do outro lado está uma equipa que joga muito bem e que está bem orientada. Naquela hora e meia, porém, todos quererão dar o melhor", considera o presidente dos verde-rubros.

Carlos Pereira já pensa em alternativas. "Dyego Sousa fazia a diferença"

Previsivelmente afastado dos relvados até ao final da época, devido à reposição do castigo federativo que lhe foi aplicado, Dyego Sousa desfalcará o conjunto de Daniel Ramos. O caso do melhor marcador da equipa deixa Carlos Pereira com um amargo de boca e com a evidência em mente da necessidade de reforçar o ataque maritimista na reabertura do mercado.

"O Dyego Sousa fazia a diferença no ataque do Marítimo. A não ser que o TAS não atenda o seu recurso, até ao final da época não jogará mais. O Marítimo terá de colmatar essa 'baixa' e penso que vai encontrar uma solução dentro do próprio plantel. Mas é claro que o Marítimo terá de ir ao mercado de Janeiro para manter a sua linha avançada", sustenta.

Ora, ainda sobre Dyego Sousa, Carlos Pereira teceu críticas a uma alegada postura ilegítima do Sporting de Braga, no sentido de garantir a contratação do avançado brasileiro, no final da época. António Salvador, líder dos minhotos, reagiu em comunicado. O líder do Marítimo ironiza sobre o assunto.

"Só tenho de mandar um abraço ao meu amigo António Salvador. Cada um defende a sua instituição como melhor sabe e pode. Falaremos sobre esse e outros assuntos, no futuro", remata.

O Marítimo-Benfica arranca às 20h30 de sexta-feira, no Estádio dos Barreiros, com arbitragem do portuense Vasco Santos. Jogo com relato na antena da Renascença e acompanhamento ao minuto em rr.sapo.pt.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • CARLOS FREITAS
    01 dez, 2016 FUNCHAL 14:50
    HO SR. DEIXE DE TRAIR O MARITIMO , VAI PARA O TEU CLUBE DO CORACAO