O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Mais de 700 ocorrências na Serra da Estrela no último ano

30 nov, 2016 - 19:56

Entre os casos com intervenção da GNR estão 127 situações de cortes de estrada devido ao mau tempo e queda de neve.
A+ / A-

Veja também:


O Subagrupamento de Montanha da GNR registou durante o último ano, na Serra da Estrela, 715 ocorrências, a maioria das quais de apoio aos condutores e no período de Inverno.

"Efectivamente a maioria das situações operacionais continuam a registar-se na época da neve, mas também temos cada vez mais ocorrências na chamada época baixa, já que a Serra da Estrela tem registado cada vez mais procura de visitantes, que por vezes também necessitam da nossa acção", referiu, em declarações à agência Lusa, o comandante do Subagrupamento de Montanha do Grupo de Intervenção e Socorro da Unidade de Intervenção da GNR, Carlos Fernandes.

Os dados compreendem o período entre 1 de Dezembro de 2015 e 30 Novembro de 2016 e apontam para um total de 715 ocorrências nas componentes de policiamento, vigilância, prevenção rodoviária e apoio a cidadãos.

Das 715 ocorrências, 506 dizem respeito ao apoio a condutores, 45 ao desbloqueio de veículos presos na neve e 25 a acidentes de viação, dos quais apenas resultaram danos materiais.

Noutra vertente, registaram-se três situações de busca, três de resgate e seis das denominadas evacuações - retirada de pessoas para outro local.

Já no que concerne aos cortes de estrada, a GNR contabilizou 127 situações.

Carlos Fernandes voltou a sublinhar que os cortes de estrada são realizados quando não estão reunidas as condições de segurança para as pessoas e salientou ainda que continua a verificar-se que as pessoas que chegam à Serra da Estrela na época da neve não chegam devidamente preparados.

"Em cada dez veículos, só um é que traz correntes de neve, acessório que é fundamental em determinas condições", apontou, lembrando que parte das vezes as estradas nem sequer estão encerradas, mas apenas condicionadas exactamente ao uso de pneus ou correntes de neve.

O comandante do Subagrupamento salientou ainda que "continua igualmente a verificar-se um total desrespeito pela sinalização existente, nomeadamente pelos sentidos proibidos e encerramento de estradas".

O Subagrupamento de Montanha da GNR é responsável pelo policiamento, segurança e ordem pública, protecção e socorro de pessoas, e disciplina e prevenção rodoviária na área de todo o maciço central da Serra da Estrela.

Este grupo é por três equipas de busca, resgate e salvamento e por três equipas da componente policial, sendo que no período de inverno há um reforço com dez elementos da componente policial.

É também uma das entidades chave do Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro na Serra da Estrela, cuja apresentação pública está marcada para quinta-feira, às 12h30, numa cerimónia presidida pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

Segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), integram este dispositivo os corpos de bombeiros dos distritos de Castelo Branco (Covilhã) e Guarda (Loriga, São Romão, Gouveia, Seia e Manteigas), o Grupo de Resgate em Montanha da Força Especial de Bombeiros (FEB) da ANPC, bem como o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR e outras forças e meios qualificados para a execução de missões de protecção e socorro, disponibilizados pelos agentes de protecção civil e por entidades com especial dever de colaboração.

"A activação do Plano de Operações Nacional da Serra da Estrela pressupõe a unidade de comando e controlo de toda a prevenção e resposta, o incremento do nível de preparação das entidades para os diferentes cenários de risco previamente considerados, e a sua pronta mobilização em caso de necessidade", aponta o comunicado da ANPC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.