A+ / A-

​Papa divulga temas das próximas Jornadas Mundiais da Juventude

24 nov, 2016 - 11:21 • Ana Lisboa

Até 2019, Francisco desafia os jovens a reflectirem sobre a figura da Virgem Maria.
A+ / A-

A próxima Jornada Mundial da Juventude, celebrada em 2017 a nível diocesano, tem como tema “O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas”, partindo de uma frase do diálogo entre o Anjo e Nossa Senhora, relatada pelo Evangelho segundo São Lucas (Lc 1,49).

No ano seguinte, o tema escolhido pelo Papa é “Não temas, Maria, porque encontrastes graça diante de Deus”, da mesma passagem do Evangelho (Lc 1,30).

A 34ª JMJ, em 2019, terá carácter internacional, vai decorrer no Panamá, tendo como tema “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

“Os três temas anunciados dão ao itinerário espiritual das próximas JMJ uma forte conotação mariana, sublinhando ao mesmo tempo uma imagem de juventude em caminho entre o passado (2017), o presente (2018) e o futuro (2019), animada pelas três virtudes teologais: fé, caridade e esperança”, explica o Vaticano em comunicado divulgado esta semana.

O texto recorda o discurso preparado pelo Papa Francisco para o encontro com os voluntários da JMJ 2016, em Cracóvia, na qual aludia às atitudes da Mãe de Jesus, mostrando-a como “modelo a imitar”.

“O caminho proposto aos jovens mostra também uma evidente sintonia com a reflexão que o Papa Francisco confiou ao próximo Sínodo dos Bispos: os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, acrescenta a nota oficial.

As Jornadas Mundiais da Juventude nasceram por iniciativa de João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.