A+ / A-

​Dívida pública sobe para 133,1% do PIB no terceiro trimestre

21 nov, 2016 - 13:15

A dívida pública ascendeu a 244 milhões de euros no final de Setembro.
A+ / A-

A dívida pública na óptica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, aumentou no terceiro trimestre deste ano para os 133,1% do Produto Interno Bruto (PIB), divulgou esta segunda-feira o Banco de Portugal (BdP).

De acordo com o Boletim Estatístico divulgado pelo banco central, a dívida pública ascendeu a 244.420 milhões de euros no final de Setembro, mais de 1.130 milhões acima do valor verificado no final de Agosto (243.289 milhões de euros).

Comparando com o segundo trimestre, o último período para o qual o banco central disponibiliza o rácio da dívida sobre o PIB, este indicador passou de 131,7% em Junho para 133,1% em Setembro.

Já a dívida líquida dos depósitos da administração pública foi de 223.149 milhões de euros em Setembro, o equivalente a 121,5% do PIB, o que representa uma ligeira diminuição face a agosto (223.605 milhões de euros).

Também o rácio da dívida excluindo estes depósitos no PIB desceu face ao segundo trimestre, quando representava 121,8% do PIB.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2017, o Governo prevê que a dívida pública aumente de 129% do PIB em 2015 para 129,7% do PIB este ano, estimando retomar uma trajectória de redução em 2017, para os 128,3%.

A dívida na óptica de Maastricht é utilizada para medir o nível de endividamento das administrações públicas de um país e o conceito está definido num regulamento de 2009 do Conselho Europeu, relativo à aplicação do protocolo sobre o procedimento relativo dos défices excessivos anexo ao Tratado que institui a Comunidade Europeia.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria
    22 nov, 2016 lisboa 20:54
    a divida a crescer para aumentar o numero de escravos dos subsidios e das "migalhas/beneces" do governo
  • AI COMO ISTO VAI
    21 nov, 2016 Lx 21:36
    Li o livro do Professor César das Neves e ele diz calaramente que entre 2017 e 2018 virá um novo resgate... E isto por causa da dívida pública, do fraco crescimento da economia, da ausência de poupança nas famílias e pelo déficit, as taxas de juro quase nos 4 por cento e a DBRS a aborrecer-se com o despesismo das esquerdas folclóricas e populistas...
  • Eborense
    21 nov, 2016 Évora 14:59
    A dívida a subir e os juros a subirem como já não subiam há muito tempo. Quer ver que afinal isto é obra do Diabo? Será que ele pé ante pé se vai aproximando? Esperemos mais alguns meses para ver.
  • Eborense
    21 nov, 2016 Évora 14:55
    Espectáculo! Viva a geringonça, o Sr. Costa, a 1ª Ministra Catrina, as irmãs Mortágua e todos os geringonços, apoiantes da geringonça. Ah! Já me esquecia! E viva a Troika!