A+ / A-
revista de imprensa

Lisboa – capital europeia da tecnologia esta semana

07 nov, 2016 - 11:42

Novas tecnologias em destaque no maior encontro europeu dedicado às novas tecnologias e Internet e a Cimeira do Clima fazem os destaques desta manhã.
A+ / A-
Revista de Imprensa de temas europeus (07/11/2016
Revista de Imprensa de temas europeus (07/11/2016

No dia em que arranca a Web Summit em Lisboa, a revista “i9” diz que a “União Europeia quer liderar revolução digital”. Segundo este magazine de actualidade tecnológica, a receita da afirmação europeia no mercado digital passa pelo investimento em novas tecnologias e por uma aposta na cooperação entre os vários actores económicos para que se articulem com os vários governos.

Hoje é também o dia em que começa a Cimeira do Clima na cidade marroquina de Marraquexe. A COP22 faz a manchete no site da televisão France Info que deixa esta pergunta: “Como se explica que a União Europeia continue a arrastar os pés nas energias renováveis?”. Os ambientalistas da WWF alertam para a existência de 280 centrais de produção de energia a carvão e cuja poluição gerada foi responsável por mais de 20 mil mortes prematuras no espaço europeu.

Ora nesse capítulo, a France Info lembra que o país (a França) não é propriamente o melhor exemplo. Numa altura em que se fala de investimento na chamada transição energética para fontes não poluentes, a France Info pergunta: porquê que a França não lidera esse processo. A França que, recordo, presidiu à COP21, a cimeira de Paris onde foi assinado o acordo climático ratificado por mais de 90 países.

O britânico Daily Express faz eco do discurso sensacionalista do presidente turco este domingo. Erdogan acusa a União Europeia de “fomentar o terrorismo no Médio Oriente” lembrando que, apesar dos 28 considerarem o PKK uma organização terrorista, aceitam que os curdos combatam o Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

Também do fim-de-semana, um sublinhado às declarações de Jean Claude Juncker ao jornal belga Le Soir. “Há um problema sério de governação na Europa”, alerta o presidente da Comissão Europeia. Durante a entrevista, Juncker abordou o processo que conduziu o seu antecessor, Durão Barroso, à administração do banco Goldman Sachs, um caso que gerou um coro de críticas sobre a conduta do antigo líder do executivo comunitário.

Ora, para acabar com a polémica, o presidente da Comissão vem agora propor a extensão do chamado “período de nojo” para 3 anos. Ou seja, o período entre o abandono da liderança do executivo comunitário e o regresso à actividade no sector privado.

A fechar, regressamos a um assunto de que já não se fala há algum tempo. A missão europeia a Marte que se despenhou no solo e acabou por não ser bem-sucedida. O Euroefe, site de actualidade europeia da agência de notícias espanhola, mostra a fotografia do lugar onde os especialistas da Agência Espacial Europeia acreditam que o módulo Schiaparelli acabou por cair. A foto mostra um pequeno ponto negro rodeado de manchas à superfície do planeta vermelho. Ora, essas manchas serão, nada mais, nada menos, do que fragmentos da aeronave europeia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.