O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Associação nasce para dar gás à Rota da EN2

05 nov, 2016 - 09:54

Projecto turístico junta duas dezenas de municípios de norte a sul do país.
A+ / A-

A Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 (EN2) é formalmente constituída este sábado, em Santa Marta de Penaguião, por 21 dos 32 municípios atravessados pela via que liga Chaves a Faro.

A assinatura da escritura da Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2 junta hoje 21 autarquias, mas mais 10 já garantiram a adesão, precisando apenas da aprovação das respectivas assembleias municipais.

Luís Machado, presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião e que lidera o projecto turístico EN2, afirmou à agência Lusa que a constituição desta associação representa a fase final da primeira fase deste projeto.

O autarca disse que a nova associação pretende concretizar a geminação da EN2, que liga Chaves a Faro, numa distância de 738 quilómetros, com a 'Route' 66, nos Estados Unidos da América (EUA), e a 'Ruta' 40, na Argentina.

Mas, para a concretização deste projecto de internacionalização, o presidente socialista defendeu que é necessária a abertura de um aviso nos fundos comunitários dedicado a este projecto que atravessa o país de Norte a Sul, passando por território das atuais cinco comissões de coordenação e desenvolvimento regional (CCDR).

De Trás-os-Montes ao Algarve, a Nacional 2 atravessa 32 municípios, passa pelo interior das povoações e liga paisagens tão diferentes como as vinhas do Douro, as planícies do Alentejo ou as praias do sul do país.

É este potencial paisagístico e patrimonial que se quer aproveitar. Luís Machado explicou que o objectivo é "avançar com um projecto de dinamização desta estrada histórica" que vai guiar os visitantes por uma viagem pelo país.

"A ideia é que as pessoas que façam esta rota tenham o mesmo tipo de acolhimento em todos os municípios por onde passem, tenham acesso a informações sobre alojamentos, restauração ou os produtos locais de qualquer um destes territórios", salientou.

Luís Machado acredita que a EN2 vai ajudar a "criar riqueza nos territórios que atravessa, vai ajudar a mostrar a cultura, gastronomia e os produtos endógenos, ainda a fixar a população residente e até a atrair novas pessoas".

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, é parceira do projecto e vai criar uma aplicação onde estará concentrada toda a informação sobre a EN2 e, conjuntamente com a Infraestruturas de Portugal (IP), será colocada uma sinalética da rota.

O autarca disse ainda que o projecto visa a recuperação das antigas casas dos cantoneiros, que estão devolutas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joao fjr
    05 nov, 2016 O Azeméis 12:10
    Acho muito bem, ajuda a criar riqueza no interior , tenho mota é algo que estou a pensar em viver essa experiência n2 vamos para a frente lutem l Por esse projecto