O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Arte rupestre e Hugh Hudsom marcam arranque do Cinecôa

31 out, 2016 - 10:53 • Olímpia Mairos

Mostra cinematográfica tem entrada gratuita e espera receber três mil pessoas.
A+ / A-

O Festival Internacional de Cinema de Foz Côa – Cinecôa está de volta com um cartaz diversificado e pensado para diferentes públicos.

Pelo auditório de Vila Nova de Foz Côa vai passar oito longas metragens, seis curtas e muitos filmes de animação para os mais pequenos.

O destaque desta edição, que decorre 17 a 19 de Novembro, vai para o filme “Altamira”, do conceituado realizador Hugh Hudson, que permite um paralelismo entre a caverna de Altamira, conhecida como a Capela Sistina da arte rupestre, e as gravuras do Parque Arqueológico do Vale do Côa.

“Não é de forma inocente que abrimos assim o Cinecôa. O filme, protagonizado por Antonio Banderas, faz uma grande aproximação entre dois pontos fulcrais da arte rupestre europeia, como são Altamira e Foz Côa”, explica António Valente, membro da organização.

Hugh Hudson é “realizador inglês, autor de ‘Momentos de Glória’, um filme que ganhou quatro Óscares, e que marcou todo um conjunto de gerações”, explica António Valente.

No dia 18, será exibido o filme-concerto Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens, um clássico alemão de 1922, dirigido por Friedrich Wilhelm Murnau, e será acompanhado, em palco, pela Orquestra do Norte.

Do Cinecôa constarão ainda filmes recentemente produzidos em Marrocos, Espanha, Reino Unido, França, Luxemburgo, Brasil e Cuba. A entrada é gratuita e são esperadas cerca de 3 mil pessoas ao longo dos três dias.

O Festival Internacional de Cinema de Foz Côa vai ainda distinguir António-Pedro Vasconcelos, realizador de obras cinematográficas como “Jaime”, “Os Imortais”, “Call girl” ou “Os gatos não têm vertigens”, filme que abriu o Cinecôa na edição anterior.

“Vamos homenagear um dos realizadores mais polémicos e com os filmes mais vistos pelo público português. Será exibido o seu último filme – Amor Impossível, seguido de um concerto da filha, Patrícia Vasconcelos, que acaba de lançar um disco”, refere António Valente.

Organizado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, o Cinecôa acontece ininterruptamente desde 2011, ano da sua estreia, e já homenageou ou contou com a presença de figuras marcantes do cinema como Manoel de Oliveira, Lisandro Alonso, Benoît Jacquot, Teresa Vilaverde ou Tino Navarro.

A entrada no festival é gratuita e são esperadas cerca de três mil pessoas ao longo dos três dias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.