A+ / A-

Refugiados. Portugal prepara rede de acolhimento a menores desacompanhados

30 out, 2016 - 13:34

O tema vai estar em debate na quinta-feira, numa conferência organizada pela Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS).
A+ / A-

É cada vez maior o número de menores não acompanhados que chegam à Europa no contexto da crise dos refugiados. A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) considera, por isso, importante chamar a atenção para esta realidade.

“Em Itália, sabemos que estão a chegar cada vez em maior número, a cada dia. Na Grécia, sabemos também que o sistema está de tal forma saturado, que muitas destas crianças estão a ficar em centros de detenção, porque já não há equipamentos de trânsito em que estes menores possam ser acolhidos e muito menos estruturas feitas de raiz a pensar nisto. Em Calais, é aquilo de que se tem falado nos últimos dias, sabemos como a situação está. Portanto, seja ao nível da primeira linha de acolhimento ou não seja, a situação está problemática para estas crianças”, sustenta Ana Rodrigues, consultora jurídica da CNIS

A preocupação coloca-se no risco a que estão sujeitos estes menores não acompanhados, pois, provavelmente, estamos a falar “de um menor que já foi alvo de exploração por parte dos passadores que o trouxeram para a Europa”, adianta a responsável, em declarações à Renascença.

Falar-se de um menor desacompanhado “é falar-se de alguém que porventura é muito mais susceptível de ser apanhado numa rede de tráfico de pessoas, seja para fins de trabalho forçado, exploração sexual, laboral, mendicidade ou quaisquer outros fins”, acrescenta Ana Rodrigues.

Portugal tem já preparada uma rede de acolhimento para um primeiro grupo de menores refugiados.

“Temos um modelo que tem estado a ser trabalhado em parceria com algumas instituições associadas da CNIS, que têm possibilidade de acolher estes menores. É uma rede que poderá estar em expansão”, diz a consultora da confederação, acrescentando que “neste momento estamos prontos para receber, a breve trecho, as primeiras crianças”.

Ana Rodrigues adianta ainda à Renascença que o primeiro grupo deve ser constituído por dezenas de crianças, mas o número será alargado. O modelo de acolhimento visa a institucionalização dos menores.

Para discutir soluções para o futuro dessas crianças que chegam à Europa sozinhas, realiza-se no Porto, no próximo dia 3, uma conferência organizada pela CNIS.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Menores envelhecidos
    06 nov, 2016 lisboa 14:57
    Menores com 20 anos.... Como aqueles que eu vi num video na Internet que até dá vontade de rir... Já toda a gente sabe que eles mentem na hora de dar a idade.
  • Boa foto!...
    31 out, 2016 lisboa 14:57
    Então e as crianças da Somália?... Já não estão na moda?... Estas agora ficam melhor na fotografia não é verdade?
  • Crias de Leão
    31 out, 2016 lisboa 13:57
    Já ouviram falar das "Crias de Leão"? Pois muito bem... As crias de leão são menores treinados pelo estado islamico, são pequenos monstros que assassinam a sangue frio e onde lhes é incutido por meio de lavagem cerebral, o ódio aos cristãos. Existem videos na internet do estado islamico com massacres perpetrados por estas criancinhas que não lembra nem ao Diabo!..se quiserem ver estes videos estão em( heavy,com) mas cuidado! Não são próprios para cardíacos!...
  • Pinto
    30 out, 2016 Custoias 22:26
    Este pequeno país que não consegue resolver o problema das nossas crianças vítimas do desemprego dos progenitores e desigualdades laborais, vai agora resolver os problemas das crianças refugiadas? Esqueceram as crianças de África que passam fome e morrem de doenças, vítimas de ditaduras e corrupções dos seus governos? Que país é este que maltrata os seus e se mostra bondoso com o islamismo?
  • fanã
    30 out, 2016 aveiro 15:58
    Sr. Cuidado.....................São antes de tudo menores, o que propõe ?????........ mata-los ???????
  • Cuidado!...
    30 out, 2016 lisboa 15:12
    Mas atençao a uma coisa!... Existem milhares de menores alistados em redes terroristas... Isto não são os nossos bébésinhos europeus...Existem campos de treino do DAESH de MENORES na síria, e segundo os serviços secretos muitos destes menores estão a ser manietados em solo europeu por terroristas... Cuidado...