O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Eduardo Cunha, que iniciou destituição de Dilma, foi preso

19 out, 2016 - 17:41

É investigado por ter supostamente recebido 1,4 milhões de euros em subornos pagos em contas secretas na Suíça.
A+ / A-

A polícia federal do Brasil prendeu esta quarta-feira o ex-deputado federal Eduardo Cunha, político que ficou conhecido por ter dado início ao processo de destituição da ex-Presidente Dilma Rousseff.

A prisão de Eduardo Cunha foi determinada pelo juiz federal Sergio Moro, que analisa os processos em primeira instância da operação Lava Jato.

Eduardo Cunha é investigado por ter supostamente recebido 5 milhões de reais (1,4 milhões de euros) em subornos pagos em contas secretas na Suíça, que foram abastecidas com dinheiro desviado de contratos de exploração de petróleo da petrolífera estatal Petrobras em África.

A polícia também cumpre um mandado de busca e apreensão em uma casa de Eduardo Cunha na cidade do Rio de Janeiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.