|
A+ / A-

​Passos Coelho: Orçamento é “embuste” que torna austeridade permanente

17 out, 2016 - 19:01

Líder do PSD dá como exemplo a substituição da a sobretaxa do IRS, uma medida extraordinária, por impostos indirectos.

A+ / A-

Veja também:


A proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2017 é "embuste" e está repleta de "truques e várias injustiças", por tornar permanente uma austeridade que seria temporária, acusa o líder do PSD, Pedro Passos Coelho.

Em declarações aos jornalistas à margem da conferência sobre "Descentralização - O Caminho do Desenvolvimento" dos Autarcas Sociais-Democratas, no Porto, Passos Coelho frisou que a sobretaxa do IRS foi criada como uma medida extraordinária e "sem contrapartidas de subidas de outros impostos", algo que diz estar a acontecer agora.

"Então o que estamos é a transformar em impostos permanentes aquilo que tinha sido apresentado como uma solução de emergência, num quadro muito especial e foi isso que se chamou austeridade. Se agora estamos a transferir a austeridade dos impostos directos (...) [para] impostos permanentes que são lançados sobre as pessoas e as mais variadas actividades económicas (...), então estamos a institucionalizar e a tornar permanente essa austeridade que era de emergência e isso evidentemente é um embuste, um engano", afirmou Passos Coelho.

Para o dirigente social-democrata, que remeteu para mais tarde uma posição detalhada do partido sobre a proposta de OE, o Governo "de um lado diz que está a virar a página da austeridade e do outro lado [está] a criar agravamentos permanentes, ou novos impostos mesmo, para poder gerar a mesma receita que se está a perder do lado das medidas extraordinárias".

Passos Coelho acrescentou ainda considerar que o OE contém uma "ratoeira", uma vez que "o Governo não está a ser transparente nas previsões que faz para o próximo ano", tornando o país "dependente do resultado deste ano e de resultados que podem ser extraordinários e não sustentáveis, o que significa, portanto, que existe uma espécie de gestão do défice à volta dos 3% e da dívida à volta de 130%" que faz com que seja impossível a Portugal "sair do sítio".

O líder do PSD rotulou de "lamentável" a decisão do Governo sobre as pensões, já que "ao mesmo tempo que acaba com a Contribuição Extraordinária de Solidariedade para pessoas que têm pensões muito elevadas, de muitos milhares de euros, entende que não deve actualizar extraordinariamente as pensões mais baixas, o que é uma coisa que não se percebe".

"Não há nenhuma razão para escolher o meio do ano para iniciar os aumentos extraordinários e não há nenhuma razão para excluir as pensões mais baixas. E o argumento de que são excluídas porque foram as únicas que o governo anterior foi actualizando, justamente com o argumento de que eram as pensões mínimas e portanto eram as mais baixas e precisavam de convergir para valores mais próximos das outras, então esse nem sequer se compreende", declarou Passos Coelho, para quem "o Governo dá muitas desculpas, mas não responde ao essencial".

Passos Coelho resumiu a sua posição face à proposta de OE para 2017 dizendo que "este Governo não tem uma linha reformista, não tem uma estratégia para pôr a economia a crescer e sendo assim vai deixar o país adiado", ecoando as palavras da vice-presidente do partido, Maria Luís Albuquerque, hoje num artigo de opinião no Diário de Notícias com o título de "2017 será outro ano perdido".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pedro Rodrigues
    18 out, 2016 Mombeja 16:02
    Ataque a quem poupou? Mas andam a gozar com quem? Quantos anos a ganhar 5000 €s limpos por mês são precisos para se comprar uma casa de 600 mil euros? São precisos 10 anos. E isto sem comer, beber, acender a luz, ou comprar um café. Os 5000 euros todinhos gastos na casa, todos os meses durante 10 anos! Sem falhar! E nem chega para pagar a escritura! Mas esta é que é a "classe média" de Portugal? Ataque a quem poupa? Mas alguém compra casas de 600 mil €s a poupar? E para pagar esta taxa temos que ter mais que uma casa já que a primeira moradia está isenta desta medida...são estes os pobres de Portugal? Quem tem duas casas valendo mais de 600 mil €s? Antes fossem.
  • 18 out, 2016 14:48
    Se a memória nao me falha parce que o querido lider nao eleito de muitos destes comentadores,também sugeriu que os professores imigrassem na hé? E este querido lider também nao disse que nao havia mais impostos? que iria virar a pagina? que acabou a austeridade ? virou página e toca o mesmo.Andei trinta anos pelo mundo coisa que muitos nunca se aventuraram sair do conforto da familia sei bem do que falo, meus filhos cresceram com o pai ausente nos seus aniversarios, nas quadras festivas, oque realizei foi com esforço e sofrimento meu e da minha familia,e agora sou confrontado com slongan taxe-se a quem poupou.Haja decoro.
  • ó graciano
    18 out, 2016 lx 13:35
    Ainda vive nas calendas e não deu por isso! Mas a chanceler que hoje está aí no poder, não é oriunda da Alemanha de leste onde exerceu o cargo de secretária para a modernização da ex RDA?...Quem mais lutou pela liberdade, senão a esquerda democrática?...
  • Só o ar dele
    18 out, 2016 lx 12:59
    Mete nojo!...Põe aquele ar de importante com bandeirinha na lapela e a seguir aplica um sorrizinho cínico e hipócrita, para ir tentando convencer os que infelizmente, ainda o levam a serio! Será preciso muito mais tempo para se concluir que este individuo ultrapassa os limites da vergonha e não passa de um vendedor de banha de cobra? Maior traste é impossível!...
  • graciano
    18 out, 2016 alemanha 12:48
    para o fernando eu sou imigrante trabalho nao sou xulo mas sou xulado pelos politicos portugueses e por aqueles que nao sao politicos mas andam por ai a viver de subssidios do estado nao defendo psd nem ps mas como nao me fizeram lavagem ao cerebro e felizmente sei o que e viver num pais comunista e num nao comunista e como nao sou burro nem cego e tenho boa memoria analiso o passado e o presente por tudo isso sei muito bem qual e a idiologia e a democracia e a liberdade que a esquerda oferece e da ao povo
  • Conversinha
    18 out, 2016 lis 12:18
    deste tipo foi a que fez em 2011 para enganar muita gente de boa fé que acreditou neste figurão! Agora aplica a mesma cassete para ver se ainda leva uns incautos! É preciso ter uma lata do tamanho do universo para vir dizer que o orçamento é um embuste, quando ele, em 4 anos de desgovernação, apresentou 12 orçamentos, sendo 8 rectificativos! Com a agravante de não ter acertado em nenhuma das previsões que nos impingia com o apoio dos media e seus comentadores de serviço, avençados. Este figurão quer enganar quem? Só os clubistas dele e infelizmente ainda alguns que são levados no conto do vigário! Não tem um pingo de vergonha na cara afirmando tudo aquilo que a seguir não cumpre!
  • sr melo
    18 out, 2016 lx 12:06
    O que vale é que você tem vistas longas!...mas só quando não lhe toca a si e pelos vistos não sofreu cortes nem teve que destruir a sua família, com os filhos e netos a serem forçados a emigrar e apelidados de piegas! Tudo isto, quando o farsola do seu querido líder, em 2011, afirmava que não aumentaria impostos nem cortava salários, pensões e reformas! Até às crianças mentiu! Foi com todo o desplanto que o caracteriza que anunciou "o maior aumento de impostos"!... Não brinque com a nossa inteligência!
  • Rui Sousa
    18 out, 2016 VN Gaia 11:46
    Isto dito pelo maior MENTIROSO que já se sentou em São Bento? E conseguiu acabar a frase sem se rir?
  • Dr Xico
    18 out, 2016 Lisboa 11:20
    Passos é um "lider" sozinho, sem chama, nem projecto, acompanhado pela oportunista Maria Luís Albuquerque que sentada na cadeira dos oportunistas manda bitates sobre tudo e nada. PSD não é ouvido, não tem propostas não dá ESPERANÇA a ninguem
  • Jonas Branco
    18 out, 2016 Viseu 11:14
    Fala Passos Coelho o maior embuste da politica portuguesa.