A+ / A-

​Pode a EN2 ser a Route 66 portuguesa?

12 out, 2016 - 19:34

PSD e CDS acreditam que sim. Conheça a proposta dos partidos de direita.
A+ / A-

O PSD e o CDS querem transformar a Estrada Nacional 2 (EN2), que liga Chaves a Faro, numa atracção turística, à semelhança da Route 66, a mítica estrada que atravessa os Estados Unidos.

A EN2 liga o Norte ao Sul do país. Estende-se por 738 quilómetros e atravessa 11 distritos, 32 concelhos, quatro serras e 11 rios.

Num diploma conjunto, PSD e CDS defendem que “do ponto de vista turístico este projecto é estratégico” para o país e, sobretudo, para as regiões do interior.

Consideram que a Estrada Nacional 2, “para além de permitir a mobilidade dos cidadãos em múltiplas plataformas, pode e deve ser aproveitada como um ‘produto’ de interesse económico”.

“Pode servir o turismo e a sua promoção, traduzindo-se esta aposta numa mais-valia integrada para todas as regiões que atravessa”, sublinham os dois partidos, que sugerem o aproveitamento do novo quadro de financiamento comunitário.

Os cinco pilares da proposta PSD/CDS

Os dois partidos propõe a realização pela Infraestruturas de Portugal de uma avaliação das necessidades de intervenção, com vista à conservação, promoção, divulgação, valorização e protecção da EN2, de forma a potenciar as suas características.

Devem ser realizadas “operações de manutenção que tenham em atenção a requalificação dos marcos, bem como a melhoria da sinalética informativa que deve ter em consideração a existência de património natural, cultural, histórico e gastronómico”.

PSD e CDS querem que se “proceda à reclassificação de alguns troços e a pequenas intervenções que possam transformar esta via numa via ininterrupta e com condições de segurança para todos os utilizadores”.

Por fim, defendem que a EN2 seja promovida “através das novas tecnologias da informação recorrendo para o efeito às plataformas digitais, aproximando assim este percurso de outros que, no contexto europeu, já têm dimensão turística”.

Na apresentação do diploma esta quarta-feira, no Parlamento, Carlos Silva, do PSD, realçou que há "poucas estradas no mundo e praticamente nenhuma na Europa" deste género que ligue um país de norte a sul.

Pelo CDS-PP, o deputado Hélder Amaral lembrou que promover esta via pode resultar num bom "produto turístico" mas, tão ou mais importante, num acrescentado "valor económico para as populações".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Silvio Morgado
    15 fev, 2018 Coimbra 16:19
    Eu já fiz a Nacional 2 de moto e estou a preparar me para a voltara fazer desta vez com a esposa pilotando a sua própria mota. Há sem dúvida muita fala de sinalização, nomeadamente em Viseu... Perde se s N2 entre Santa Comba e Penacova, há forma de ir sem fazer os 12kms de IP3...No Alentejo também há algumas zonas degradadas de resto faz se RM segurança... Lamento o que muitos aqui escreveram contra a beneficiação da Nacional 2 ...Velhos do Restelo, que só estão bem a criticar, é bom que se restruture não só a N2 como as outras todas que precisam de intervenção, por algum lado se tem de começar, o País tem de apostar no que melhor tem e o que melhor tens é a oferta ao turismo meus senhores, infeliznente há muito cegueta neste Portugal, regulam onde não devem gritam que está mal , mas na hora da verdade faltam os tomates para mudarem se as coisas ...Povo Português quem te viu e quem te vê!
  • Aires
    13 out, 2016 17:56
    Excelente ideia independentemente de quem a teve. Se houver bons tascos e pouca GNR na estrada o sucesso é garantido!!
  • Alcídio Nogueira
    13 out, 2016 Amora 16:32
    Conheci alguns troços da N2, tanto do Alentejo como do centro e norte, incluindo Trás os Montes. É mítica, fica-nos na memória quando na altura ainda não existia as alternativas de hoje. Portanto só posso apoiar a iniciativa para valorizar essa estrada, já que temos que aproveitar os fluxos turísticos que Portugal está a beneficiar, há paisagens lindas, povoações cheias de história que estão à espera que as visitem. Claro que esta via, não pode nem será uma via estruturante do nosso sistema viário, como alguns comentadores não perceberam, tem como objectivo o lazer e claro a melhoria de comunicação às povoações da rota e benefícios económicos, que ajude a travar um pouco a preocupante desertificação do interior. Raramente leio comentários de notícias que encontro por aqui, hoje li algumas referentes a este artigo, com tristeza, verifico que o ódio continua a ser o objectivo de alguns comentadores ao exporem as suas opiniões, e uma vida cheia de ódio só tem um destino: o desespero, a mola real de vida inútil mesmo rodeada de cenários vistosos e caros.
  • Rui
    13 out, 2016 Leiria 14:29
    O problema são os troços onde já foi transformada em via rápida ou autroestrada sem portagem.
  • AP
    13 out, 2016 Canada 00:48
    Route 66; longa de 3.945 kl , liga Chicago (Illinois ) a Sta-Monica ( California ) USA.
  • Rui Frias
    13 out, 2016 Lisboa 00:36
    Não sou contra a execução de projectos, desde que tenham pés para andar. No entanto, ele levanta-me bastantes interrogações...! Temos uma das melhores redes de autoestradas da Europa, dimensionadas à nossa pequenês.. Podemos circula, com toda a segurança e com o conforto, que sempre aspiramos ter, em viagens de longo curso. O Estado, não teve o dinheiro suficiente para a sua execução, pelo que teve de introduzir o sistema das PPP, além de ter recebido milhões da Europa para a sua realização. Saberão os proponentes, que o país necessita de muito mais coisas, além de mais uma estrada, se bem que recuperada, ? Saberão estes senhores o que é viajar nestas estradas com o trânsito, com filas de camiões TIR ? E a insegurança, agravada por mais este aumento de tráfego ? Acho que vão por mau caminho, porque viajar não é arriscar, como já se faz pela obrigação económica de fugir às portagens...! Há muito mais, onde o dinheiro é necessário...! Seria muito melhor reconstruir a 125, no Algarve, para servir todas aquelas povoações e evitar tantas mortes por ano, com estatísticas de terror. Não seria melhor continuar os trabalhos interrompidos na estrada que vai de Vila Real de Santo António, pelo interior profundo, até Beja e ligar depois a Castelo Branco, Guarda e Bragança ? Não seria melhor propor o tal túnel da Covilhã, ligando a A23 à A25 ? Como vêm, se querem gastar o que não temos,. pelo menos façam qualquer coisa para melhorar o interior...! Não brinquem mais com o país...!
  • Rodrigues
    13 out, 2016 Porto 00:22
    Ao fim de um ano de oposição, os pafiosos tem pela primeira vez uma boa ideia . Até que enfim.....
  • Artur Santos
    12 out, 2016 Vila Nova de Poiares 23:36
    Muito bem, boa iniciativa para levar a alterações. É pena não se referir na peça que os Municípios por onde passa a estrada já constituíram uma Associaçao da EN2, e que este processo já tem mais de 2 anos, pretendendo que esta seja uma estrada turística melhor que a Route66, pois gastronomicamente Portugal é muito mais aprazível, bem como as diferentes paisagens ao longo do nosso país. Os Municípios vêm lutando para que as Infraestruturas de Portugal cuidem devidamente dos troços ao seu encargo. Em Vila Nova de Poiares há quase 8km de estrada Nacional 2, cheia de buracos, sem passeios, e que servem de ligação a via rápida mais perto do concelho (10km). Certamente os autarcas dos diferentes partidos e os diferentes partidos na Assembleia da Republica devem trabalhar para que este projeto de referencia a nível europeu se possa rapidamente concretizar. Aos Municípios é de referir continuem que os apoios depois surgem...3 anos de marasmo de fundos comunitários, poderá ser já no próximo ano que usufruam um pouco dessa bandeira. Bem haja ao Presidente de Santa Marta de Penaguião (PS) por ter tomado as rédeas da iniciativa da EN2 - Rota Turística.
  • Antonio Rodrigues
    12 out, 2016 Viseu 23:16
    Cá estão eles, os golpistas dos submarinos. E que tal criarem um novo BPN? Aproveitando os fundos monetários, tendo como gerente o economista de Boliqueime, dando novas oportunidades à nova geração de vampiros. E esta hein?
  • EA
    12 out, 2016 Viseu 23:13
    Já há muitos anos que considerava que esta medida deveria ser tomada. Parabéns aos dois partidos proponentes.