A+ / A-

Voos directos entre a China e Portugal arrancam em Junho

11 out, 2016 - 18:01

Protocolo assinado com o Turismo de Portugal aponta para três a quatro ligações por semana.
A+ / A-

A ligação aérea directa da China a Portugal arranca em Junho de 2017, com três a quatro frequências por semana, de acordo com protocolo assinado entre o Turismo de Portugal e o grupo HNA (Beijing Capital Airline).

Em comunicado, o Turismo de Portugal informa que a ligação prevê que os voos da China para Portugal tenham uma frequência de três a quatro vezes por semana, com início das operações previsto para Junho de 2017.

A HNA, accionista da companhia aérea Azul, controlada pelo empresário David Neeleman – um dos donos da TAP –, obteve autorização para lançar uma rota para Portugal no início de Junho deste ano.

O desenvolvimento da negociação da ligação directa China – Portugal, é uma parceria entre três entidades portuguesas – o Turismo de Portugal, a ANA Aeroportos e a Associação Turismo de Lisboa (ATL), informa o organismo.

O Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, considera que “a assinatura do protocolo reforça o compromisso de ambos os países em avançar na cooperação para o crescimento dos fluxos turísticos da China para Portugal”.

“Esta ligação directa é estratégica para o desenvolvimento do sector do Turismo em Portugal, uma vez que garante a competitividade aérea do destino, junto deste que é um dos principais mercados emissores mundial de turistas”.

De acordo com o Turismo de Portugal, até Julho de 2016, e face ao mesmo período de 2015, o número de turistas chineses que visitaram Portugal cresceu 21,6%, tendo passado de 87.045 em 2015 para quase 106.000 em 2016.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.