A+ / A-

Obrigado China. ​Costa agradece apoio "decisivo" a Guterres para secretário-geral da ONU

08 out, 2016 - 11:11

Viagem oficial do primeiro-ministro à China tem como principal objectivo reforçar as relações económicas dos dois países.
A+ / A-

O primeiro-ministro, António Costa, agradeceu este sábado ao chefe de Estado chinês, Xi Jinping, "o apoio decisivo" dado pela República Popular da China ao longo do processo de candidatura de António Guterres ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas.

Este agradecimento foi feito por António Costa logo no primeiro ponto do seu programa de visita oficial à China, durante a audiência com o presidente da Assembleia Nacional Popular, Zhang Dejiang, e foi depois repetido na reunião com o Presidente chinês, Xi Jinping.

Na Assembleia Nacional Popular, com os ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, sentados ao seu lado, António Costa declarou: "Aproveito esta oportunidade para agradecer o apoio claro e firme prestado pela República Popular da China à candidatura de António Guterres ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas".

Logo a seguir, na reunião com o chefe de Estado chinês, o primeiro-ministro salientou o carácter "decisivo" do posicionamento da China nas Nações Unidas para tornar possível a eleição de António Guterres.

O Presidente da República da China, por seu lado, além de se referir à eleição de António Guterres, também felicitou António Costa pela vitória de Portugal no Campeonato da Europa de Futebol, em França.

Tanto na reunião com Zhang Dejiang, como no encontro com o chefe de Estado, Xi Jinping, António Costa referiu o quadro de relações históricas entre Portugal e a China, destacando como "exemplo de grande confiança" entre os dois países a forma como decorreu o processo de transição de Macau.

"A transição de Macau decorreu de forma exemplar. E Macau tem assumido o papel de importante plataforma nas relações com os países de expressão portuguesa", disse António Costa.

Em ambas as reuniões, o primeiro-ministro português também se referiu à questão económica e ao objectivo de expandir na China a língua portuguesa.

"Para além das relações políticas, temos assistido a um grande crescimento das nossas relações económicas e culturais. Em breve vamos assinar acordos no domínio da cooperação cultural", adiantou o primeiro-ministro português, antes de se referir à realização em Pequim do festival de cinema português.

Perante o Presidente da República da China, António Costa elogiou ainda a comunidade chinesa residente em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • graciano
    08 out, 2016 alemanha 13:31
    o costa nao estou a entender nada entao guterres foi eleito por merito propoi ou foi eleito pelos teus amiguinhos facistas cumonistas da china arre que e burro