O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

PSD quer que cortes nas subvenções dos partidos se tornem definitivos

22 set, 2016 - 21:17

A ideia foi reafirmada esta quinta-feira pelo líder parlamentar Luís Montenegro.
A+ / A-

O líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, vai apresentar uma proposta de alteração à lei do financiamento dos partidos para que os cortes actuais nas subvenções públicas se tornem definitivos, disse à Lusa fonte da bancada.

Esta tarde, em declarações aos jornalistas no Parlamento, Luís Montenegro tinha dito que o partido estava disponível para transformar a redução actual de 20% na subvenção dos partidos num corte definitivo.

"Se a Assembleia da República e os demais partidos tiverem interesse em transformar este corte que era transitório num corte permanente e definitivo, em primeiro lugar deve fazê-lo não na lei do Orçamento do Estado, isto é, não deve ser para o ano de 2017, deve ser para todos os anos subsequentes", defendeu o presidente da bancada do PSD.

Desta forma, explicou, o instrumento mais adequado será alterar a lei do financiamento dos partidos e não introduzir uma norma no Orçamento do Estado para 2017.

"Nós estamos abertos para que se possa mudar a lei se todos os outros partidos tiverem essa disponibilidade, não há-de ser pelo PSD que em Portugal não se pode continuar a poupar no volume de meios públicos que é adstrito ao funcionamento dos partidos e das campanhas eleitorais", assegurou Luís Montenegro.

Já depois de Luís Montenegro ter falado aos jornalistas, o líder parlamentar do PS, Carlos César, defendeu que qualquer alteração ao regime do financiamento dos partidos e das campanhas deve decorrer de uma reflexão no âmbito da comissão eventual para o Reforço da Transparência.

Os cortes aplicados em 2010 tinham como data de validade 31 de Dezembro de 2016. No debate quinzenal, o primeiro-ministro, António Costa, adiantou que, caso o Parlamento não aprove alterações em contrário, o Governo irá neste ponto seguir o "quadro legislativo tal como ele existe actualmente", ou seja, com a reversão dos cortes.

O PCP e o BE já anunciaram que vão apresentar propostas para manter os cortes às subvenções partidárias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ai que medo!
    24 set, 2016 lx 15:02
    Tanta hipocrisia!...Nuns dias faz sol noutros chove! O actual PSD é um verdadeiro circo de malabaristas!
  • antonio
    22 set, 2016 portugal 21:42
    Aqui o psd está muito bem! Vamos reduzir as mordomias aos políticos.
  • PUB