A+ / A-

Radicalização do PS só levará à miséria, diz Basílio Horta

20 set, 2016 - 19:55 • Henrique Cunha

O autarca de Sintra diz que o segundo maior concelho do país não quer saber do novo imposto sobre o imobiliário para nada.
A+ / A-

O Presidente da Câmara de Sintra confessa-se perplexo com o novo imposto sobre o património imobiliário que foi anunciado pelo PS e pelo Bloco de Esquerda e avisa que a radicalização do partido do Governo apenas levará à miséria.

Basílio Horta, eleito como independente numa lista do PS, afirma que o novo imposto prejudica o investimento. “Fiquei perplexo quando ouvi a senhora deputada do Bloco de Esquerda dizer que queria taxar os imoveis acima dos 500 mil euros e depois o Partido comunista falar num milhão e o PS falar num milhão, sabendo que o IMI é uma receita das câmaras e, consequentemente, seria normal que as câmaras fossem ouvidas.”

“Afirmações destas, normalmente devem ser feitas pelo ministro das Finanças, porque isso dá estabilidade fiscal. Quando se ouvem este tipo de declarações, quando se fala do acumular da riqueza que se pode confundir com a questão da poupança, ficamos um pouco preocupados porque nós sabemos como está a economia e sabemos que o crescimento da economia depende do investimento”, refere Basílio Horta, fazendo eco das palavras de Rui Santos, líder da Associação dos Autarcas Socialistas.

Esta terça-feira o líder parlamentar do PS, Carlos César, defendeu que deverá ser apenas o Governo a falar do orçamento do Estado, até ao dia da entrega do documento no Parlamento.

Basílio Horta diz que a declaração de Carlos César peca apenas por tardia e deixa um sério aviso ao PS. “O Carlos César tem razão. Foi pena não ter dito isso antes. É bom ter em conta que nós estamos a falar de coisas muito sérias. O Partido Socialista é um partido fundador da democracia e do modelo ocidental. A pior coisa que pode acontecer ao Partido Socialista e com ele ao país, é que se crie uma ideia de radicalização do partido, em que o partido começa a navegar naquelas águas que são águas de radicalismo que não levam a nada. Ou melhor, levam: levam á miséria, levam à miséria”.

O autarca reafirma que em Sintra não aplicará o novo imposto: “Nós em Sintra temos três princípios e não nos desviamos deles: Disciplinar a despesa, aumentar o investimento e diminuir os impostos. Nós aqui não queremos que nos perturbem.”

“Se o senhor primeiro-ministro entender perguntar ao concelho de Sintra se quer fazer uma taxa sobre os seus imóveis de valor superior a 500 mil euros; a resposta é não, senhor primeiro-ministro, muito obrigado, nós não queremos porque isso é prejudicial ao concelho, ponto”, conclui Basílio Horta.


guialiga19_20_banner
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • viva o xuxialismo!
    21 set, 2016 Santarém 23:43
    O PS será talvez mais um partido do modelo Marxista disfarçado de ocidentalista, qualquer das maneiras este será sempre mais um imposto em cima dos muitos já aplicados tal como será agora em relação ao sol, se o PS estava em 2015 tão contra os impostos fingindo mesmo não perceber a razão dos mesmos e muito menos em reconhecer as culpas da desgraça porque razão insiste em criar mais impostos quando o caminho deveria ser aliviar? É evidente que o dinheiro não cai do céu e como ele não existe para pagar algumas mordomias dadas a alguns funcionários do Estado e alguns escassos aumentos de salários ou reformas terá que nos retirar primeiro para nos dar depois, a fórmula já é velhinha e nada vem acrescentar de novo a não ser mais inflação e incerteza quando deveriam investir em confiança e investimento.
  • MANUEL GAZUA SOLICI
    21 set, 2016 VILA FRANCA XIRA 11:23
    Este senhor, virou-se para o PS. Será que já está farto?
  • Carlos Correia
    21 set, 2016 Braga 11:13
    Basilio homem do imobiliário,nisto não alinha com o seu partido. Quem não olha por mim quem vai olhar,diz Basílio.Não é pelo povo de Sintra nem de Portugal. o homem mexeu-se porque viu o seu banco abanar.Quem te conhecer que te compre.Mas nisto estou solidário com Basílio ex CDS, hoje PS e amanhã logo se verá.
  • Xuxialista
    21 set, 2016 Rato 07:16
    Eu deixei de ser "xuxa" também por culpa destes oportunistas como o Basílio (e há lá tantos no partido!) que se infiltraram no PS por interesse. É por isso que o PS (cada vez mais) não é carne nem peixe!
  • MM
    20 set, 2016 Porto 22:54
    Oportunista, aliaste-te ao PS para teres um tacho. Agora que já o tens começas a estrebuchar !!!!
  • Rui
    20 set, 2016 Lisboa 21:34
    Gostava de ver esta malta do património de luxo vir fazer uma manifestação contra a tributação isso é que era em vez das barracas das bifanas era os quiosques da lagosta e caviar Portugal é isto meus amigos ainda há muita gente que julga que o pobre é um toto que não percebe o que se passa, para uma coisa está publicidade toda a este imposto sempre vai servindo para ir destapando algumas carecas.
  • DEMAGOGO
    20 set, 2016 Lisboa 21:23
    Este xuxa de ocasião acordou tarde com o assalto do poder feito pelo vendedor da banha da cobra chamado Costa que está refém do BE e do PCP, razão pela qual este país não tem futuro com esta gente sinistra( em italiano sinistra é esquerda..eles lá sabem porquê...)
  • VIVA O BE E O PCP
    20 set, 2016 Lisboa 21:09
    Os xuxas estão reféns e de calças nas mãos com o BE e com o PCP embora este seja mais fiável e confiável...A rapaziada acho bem esta desgovernaçao..Agora aguentamos kamaradas até ficarmos todos depenados com os kamaradas..UM NOJO ESTA GENTE