A+ / A-

Robôs contra pragas. Máquinas "inteligentes" revolucionam agricultura nacional

07 set, 2016 - 12:37

Pode parecer ficção científica, mas não é. O Instituto de Engenharia de Sistemas de Computadores (Inesc Tec) apresenta dois robôs que vão ajudar os agricultores a combater as pragas e as doenças nos terrenos.
A+ / A-

O Instituto de Engenharia de Sistemas de Computadores (Inesc Tec) apresenta esta quarta-feira dois robôs concebidos para ajudar os agricultores a combater as pragas e as doenças nos terrenos.

As plataformas robóticas recolhem informações de forma contínua e aplicam os produtos fitofarmacêuticos de uma forma mais eficiente, reduzindo assim, os desperdícios. Segundo Filipe Neves dos Santos, investigador do Inesc Tec, este sempre foi o primeiro objectivo com o desenvolvimento destes robôs.

Além destas vantagens, o investigador acrescenta que as plataformas representam uma solução fundamental para a escassez de recursos humanos que se faz sentir no sector agrícola, “O robô que se destina à poda e à colheita tenta responder ao problema dos recursos humanos, ou seja, estamos a falar de uma escassez que cada vez é mais significativa”.

Filipe Neves dos Santos refere que os robôs são resistentes a altas temperaturas, o que permite melhores condições de trabalho aos agricultores, “estamos a falar de cenários de operação que podem atingir 40 graus, altas temperaturas para as pessoas poderem trabalhar nas melhores condições”.

O especialista revela que até hoje já foram realizados vários testes na região do Douro, embora à porta fechada. As plataformas são apresentadas esta quarta-feira, mas ainda há um longo caminho a percorrer.

Filipe Neves dos Santos prevê que dentro de um ano e meio as plataformas estejam disponíveis ao público em geral, mas para já estão em exposição na maior feira agrícola nacional, que começou hoje e termina na próxima sexta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Hernelio vieira
    08 set, 2016 Peroba/itaborai/RJ 12:25
    Sou produtor familiar,é muito importante para a nossa classe saber que existe pessoas interessadas na parte de aglicultura.São equipamentos desse tipo que a aglicultura precisa,houve um exodo rural muito grande,quem ficou é porque gosta de aglicultura,mas sozinho é dificil de dar conta,esses equipamentos ajudaram e muito.
  • Joanildo Antonio xav
    08 set, 2016 Amazonas 03:37
    Tenho interesse, Muito interessante, gostaria saber qual a capacidade de cobertura desse robô, quantas hectares por hora/dia...