A+ / A-

Filhos do embaixador iraquiano dizem que não tencionam sair de Portugal

22 ago, 2016 - 21:45

Gémeos que alegamente agrediram um jovem de 15 anos quebram o silêncio. "Rezamos pela recuperação do Ruben", afirmam em entrevista à SIC.
A+ / A-
Filhos do embaixador iraquiano dizem que não tencionam sair de Portugal
Filhos do embaixador iraquiano dizem que não tencionam sair de Portugal

Veja também:


Os filhos do embaixador do Iraque quebraram o silêncio sobre o caso das agressões em Ponte de Sor. Em declarações à SIC, garantem que não tencionam deixar Portugal até que tudo esteja resolvido.

Os dois gémeos dizem que rezam pela recuperação de Ruben Cavaco, o jovem de 15 anos que se encontra internado em estado de coma após ter sido agredido na última quarta-feira.

“Nós, a nossa família e a embaixada do Iraque rezamos pela recuperação [de Ruben] e até que esta situação seja resolvida, não vamos a lado nenhum”, afirma um dos irmãos, num excerto da entrevista divulgado esta segunda-feira à noite.

Os jovens admitem que responderam a agressões, mas não se consideram acima da lei. Afirmam que não invocaram a imunidade diplomática e cumpriram "todos os procedimentos policiais".

Apontam o dedo à comunicação social portuguesa, que acusam de se estar "a aproveitar" desta situação e de colocar a opinião pública contra eles: “Só este caso é que tem recebido tanta atenção, mas posso garantir que situações como esta acontecem todos os dias em Portugal”.

Consideram que, neste caso de violência em Ponte de Sor, todos foram vítima das circunstâncias.

“Quando estamos numa situação como esta, é uma receita perigosa. Quando temos adolescentes, álcool, uma mentalidade de grupo, as coisas descontrolam-se. Não diria que sou uma vítima do Ruben ou o Ruben foi uma vítima de mim, mas diria que nós, colectivamente, somos vítimas de uma circunstância que é muito fácil de acontecer em Portugal”, argumenta um dos filhos do embaixador iraquiano, num excerto de uma entrevista à SIC, que será emitida na íntegra esta terça-feira.


legislativas 2019 promosite
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Madalena Santos
    23 ago, 2016 Santo Tirso 22:55
    Esta discussão já vai longe....toda gente a condenar ou a defender...grupos ou miúdos. E opinar sobre o que não se conhece...verdades ou mentiras a circular na comunicação social...não seria melhor as nossas autoridades fazerem uma investigação seria p apurar a verdade sobre o que aconteceu verdadeiramente naquela noite. E se começassem por interrogar aqueles pais.... esses sim responsáveis por aqueles miúdos....Que aquela hora deveriam ter em casa e descansar... se temos filhos não nos devemos demitir. . E mais não digo
  • Fred
    23 ago, 2016 Lx 22:05
    "(...)somos vítimas de uma circunstância que é muito fácil de acontecer em Portugal(...)" Mas este assassino acha que pode comparar o lixo de onde ele vem com Portugal? O que esta criatura quer dizer com isto?
  • Fred
    23 ago, 2016 Lx 22:02
    Coisas que nao percebo nesta situacao: 1) sao muculmanos? bebem alcool e fumam? crime contra religiao 2) quem lhes vendeu alcool? crime 3) sao menores? um deles tem um carro e conduz? crime 4) espancaram uma pessoa de uma forma que se considera tentaiva de omicidio? crime 4) abandonaram a vitima inconsciente? crime 5) um terceiro interveniente e ja foi interrogado? cunivente com tudo? crime 6) estao em portugal? porque nao sao presos preventivamente pois podem abandonar o pais? crime etc...
  • 777seven
    23 ago, 2016 Vilamoura 16:29
    Lhe parto a a cara, e depois oro por você, a vá! No minimo tem que ser banidos do pais!
  • ó dr chico
    23 ago, 2016 lx 16:29
    E tu aprendeste a escrever português onde?
  • Saul
    23 ago, 2016 Bemposta 16:27
    Estes energumeros são culpados de abandono de vitima. Disso não há duvidas nem eles o negaram. Depois parece-me que teem muita lábia, instruidos por bons advogados, mas cuja declaração veem provar que estiveram envolvidos. Parece-me que ao declararem serem vitimas de islamofobia ou outra coisa relacionada é apenas uma manobra dilatoria para desviar a atenção sobre os crimes que cometeram. A imunidade diplomatica deste dois e da familia está por um fio. Em breve saberemos novas
  • RUY
    23 ago, 2016 Portugal 16:03
    Pois... o Ruben também deve de ser um tipo ás direitas. Acredito que ele levou tanto por nada. deve de ser um anjinho. A comunicação social faz notícia com tudo até com...e mais não digo. A Renascença deveria de ser imparcial, até porque é um canal de informação ligada à Igreja Católica. Por isso antes de mais deveria de estar no terreno a apurar a verdadeira história, isto porque até agora só temos uma versão. ~Mas a verdade é que uma coisa é ser-se CRISTÃO CATÓLICO e outra SÓ CATÓLICO.
  • Lusitano
    23 ago, 2016 Viseu 15:39
    Estes Senhores devem ser julgados e condenados conforme o crime que cometeram e após o cumprimento da devída pena, expulsos do nosso País para sempre.
  • Jorje
    23 ago, 2016 Lisboa 15:14
    Lamento o discurso do comentador de Angola. Mas lamento ainda mais a deslocação dos políticos a Angola, para se rebaixarem ao MPLA. Nunca admitirei ou defenderei o racismo. Mas nunca defenderei quem em nome da legítima crítica ao racismo defenda dois selvagens a quem chama mal, ortograficamente falando de " gémios". Mantenho sim que cada vez mais respeito o ESTADO DE ISRAEL
  • Rui Soares
    23 ago, 2016 Porto 15:11
    Esta oportunidade dos hipotéticos agressores terem tempo para se defenderem nos media só mostra a incompetência da nossa diplomacia. Não vou aqui tirar partido de qualquer das partes.Mas uma coisa é certa a agressão de estrangeiros a um cidadão Português compete ao MNE actuar rápido e não deixar escorregar isto para um problema que pode resultar num conflito diplomático.Está em jogo muita coisa: primeiro a verdade e punir quem contribuiu para isto.Segundo não provocar uma relação de conflito entre Países e terceiro não provocar motivos para uma retaliação com origem em religiões e racismo.Ao tocarem na religião não se esqueçam que temos sidos poupados a ataques bárbaros de energumos do dito "estado islâmico.".Por tudo isto este ministro Português deve ser demitido e colocá-lo no seu lugar de "trauliteiro" da linha da frente do PS.Se soubesse cumprir a sua missão tudo isto podia ter parado logo no 1º dia e sem alaridos.A incompetência deste ministro pode originar danos graves ao Rúben e a Portugal. DEMITA-SE . 2