A+ / A-

Costa garante a Bruxelas que tem 360 milhões para evitar derrapagem do défice

18 jul, 2016 - 08:25

Primeiro-ministro escreveu à Comissão Europeia para assegurar que tem uma almofada no orçamento deste ano para fazer face a qualquer desvio nas contas públicas. E reforça que não serão necessárias medidas excepcionais.

A+ / A-

O primeiro-ministro enviou, no domingo, uma carta à Comissão Europeia em que garante que não há razões para temer uma derrapagem das contas públicas, até porque, defende António Costa, o Orçamento do Estado deste ano prevê cativações para fazer face a qualquer eventualidade.

“A resposta é que as medidas extraordinárias já estão desde o início e são as cativações que estão no Orçamento do Estado para 2016”, declarou o primeiro-ministro, António Costa, àquele jornal.

A carta com a argumentação de defesa de Portugal deverá ser já esta segunda-feira analisada na reunião de chefes de gabinetes dos comissários europeus e formalmente ponderada na reunião da Comissão Europeia marcada para 27 de Julho.

A defesa assinada pelo primeiro-ministro será tida em conta para a ponderação pela Comissão sobre que tipo de medidas devem ser aplicadas a Portugal por ter ultrapassado o limite de défice de 3% imposto pelo Tratado Orçamental.

O primeiro-ministro, António Costa, voltou a assegurar ao "Público" que não há, no caso português, necessidade de medidas extraordinárias este ano, pois estão cativas no Orçamento em execução um valor que serve de almofada e que simbolicamente até é idêntico à percentagem excedida em 2015: 0,2% do PIB (cerca de 360 milhões de euros).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • A. Rodriges
    19 jul, 2016 Lisboa 10:22
    Somos campeões em futebol, em hóquei em patins, em judo em atletismo, em canoagem e outros! quando é que seremos campeões em bons governantes?
  • os pães milagrosos
    18 jul, 2016 Santarém 22:49
    Lembram-se daquela história de que penso que uma rainha portuguesa tendo o castelo cercado pelos castelhanos e não havendo sequer já mais farinha para fazer pão atirou os últimos pães ao inimigo gritando-lhes que havia muito pão para comer, estes saturados também acabaram por abandonar o cerco, o senhor Costa vai fazendo o mesmo para ver se o deixam em paz.
  • Paulo Fontes
    18 jul, 2016 Lisboa 14:50
    Só 360 milhões? É o que resta da almofada financeira de 10 mil milhões que o anterior governo deixou para situações de aperto e que tanta crítica mereceu por parte da oposiçao na altura? É obra! Em que é que já se gastou o resto? São os milhões a voar e a dívida a subir à média de 2 mil milhões por mês desde Março. Vamos no bom caminho! Qualquer dia estamos lá... na bancarrota de 2011.
  • Eborense
    18 jul, 2016 Évora 14:29
    Esgotou-se o Kompensan nas farmácias! Mas não se esgotou o Imodium e a esquerdalha xuxalista daqui a 5 ou 6 meses terá uma diarreia tão aguda, que também o Imodium vai esgotar.
  • Fernando
    18 jul, 2016 Lisboa 14:20
    Cativações são uma coisa. Ter a massa é outra bem diferente
  • Maria
    18 jul, 2016 Porto 12:00
    Costa garante, a Comissão Europeia garante...... em que ficamos?
  • Pirata
    18 jul, 2016 portroyal 11:56
    Epá que almofadinha bem recheada... Aí se fosse a outra senhora
  • Alberto Martins
    18 jul, 2016 Lisboa 11:54
    Esperemos que essa almofada não seja como os cofres cheios da luis...cheios de cotão...
  • iFernando
    18 jul, 2016 Porto 11:43
    Os governos de Esquerda na Europa votaram contra este Governo! Por favor, me dêem uma boa razão pela qual Portugal fica melhor com deficit alto e consequentemente aumentando a divida? Onde é que a Esquerda Portuguesa foi buscar esta ideia absurda, enquanto que a Esquerda na Europa prefere o deficit 0%.
  • gfdgfdf
    18 jul, 2016 dfgdfgd 11:32
    Paga mas é o reembolso de IRS caloteiro !!!!