A+ / A-

A5 recebe primeiro de 30 radares “surpresa"

06 jul, 2016 - 06:38

Radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade vão circular, de modo aleatório, por 50 cabines colocadas em locais considerados "extremamente críticos".
A+ / A-

Entra esta quarta-feira em funcionamento o primeiro dos 30 radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO). Vai ser instalado na A5, que liga Lisboa a Cascais.

O SINCRO é um sistema para detecção automática da infracção de excesso de velocidade que não necessita de intervenção humana. É composto por uma rede de locais de controlo de velocidade criteriosamente seleccionados, mudando os radares de sítio.

"Os radares irão circular aleatoriamente, ou de acordo com as necessidades da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, vão ser mudados de cabine em cabine, para que haja também, da parte do condutor, alguma expectativa em saber se vai ser fotografado ou não", afirma à Renascença o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

Pode, pois, haver um efeito surpresa. Quem for apanhado, pode ter a certeza de receber a multa em casa, porque não haverá intervenção humana.

“Quando há uma infracção, estes radares, comunicam automaticamente para a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, para o sistema SINCRO, que emite de imediato o auto da contraordenção, com respectiva fotografia da viatura e da matrícula e com o certificado de qualidade do radar”, adianta o governante.

Este sistema estará a funcionar em pleno em Janeiro de 2017, com os 30 radares, 15 dos quais vão ser instalados até ao final de Setembro deste ano.

A instalação do primeiro radar na auto-estrada que liga Lisboa e Cascais deve-se ao facto de a A5 ser “uma das estradas com maior número de sinistralidade no país”.

“Vamos lá instalar como um ponto de reconhecimento pelos maus comportamentos dos condutores naquela via”, afirma Jorge Gomes, que vai estar esta manhã na cerimónia que marca a entrada em funcionamento do primeiro radar do SINCRO.

A instalação da rede nacional de radares tem um custo de 3,19 milhões de euros, verba aprovada em Fevereiro, em Conselho de Ministros.

A ideia deste sistema nacional de controlo de velocidade foi lançada, pela primeira vez, há cerca de sete anos. Nessa altura, o projecto previa a instalação de 300 radares, mas com a passagem dos governos e os cortes orçamentais, o número baixou para 100 e, finalmente, para 30 na versão final.



Faça zoom para ver a localização exacta de cada radar. Clique no ícone para ver mais informação sobre o radar seleccionado. Para ver em ecrã completo clique no ícone do lado superior direito.


guialiga19_20_banner
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 07 mai, 2017 23:30
    Carrinhos da gnr,e da brigada de trânsito a patrulhar as estradas...e não radares que sò servem para ir ao bolso dos portugueses e criar mais indignação social.
  • Luis
    15 set, 2016 Pereira 13:44
    Pena serem em auto estradas, faziam mais falta nas localidades onde realmente o excesso de velocidade é mais perigoso. A ver se os Portugueses se deixam de desculpas e começam a levar com quantidades de multas equivalentes aos excessos que cometem, que comparado com outros países da Europa ainda é muito baixo.
  • RR Barnaut
    28 jul, 2016 todo o país 13:31
    Após o que está escrito atrás, com o que parcialmente concordo, quero apenas referir que apesar dos dispositivos que estão a ser usados ( radares, agentes, sinais, legislação, etc) é para mim muito difícil conseguir "manter-me na linha" , pois circular não excedendo a velocidade permitida é um convite ao acidente. Porquê? Pelo simples motivo de que tudo o que aparece atrás de mim - à excepção de bicicletas - apita, buzina, mostra-se no retrovisor à esquerda ou mesmo à direita, parecendo por vezes querer entrar pela traseira a qualquer preço. Veículos ligeiros de mercadorias tipo entregas rápidas ou transporte de valores, isso então "é mato". Ah, e quando finalmente resolvem ultrapassar, quase sempre pisando o traço, é vê-los quase a cair da janela, gritando "apelidos" para me adulterarem o nome. mesmo pisar o risco para,muito difícil.
  • Luis Domingues
    26 jul, 2016 Viseu 16:04
    Realmente neste País o que interessa é a economia dos Ricos; esses têm dinheiro para pagar tudo, são os que mais infrngem o código da estrada mas continuam a pavonear-se nas suas excelentes "máquinas" são multados, mas continuamos a vê-los a conduzir. Só mais um pormenor: porque será que como aqui em Viseu, há localidades com largas estradas de 2 e mais vias nos 2 sentidos, para dar acesso a autoestradas nomeadamente, e depois fazem-se 4 ou 5 kms a baixas velocidades ( maximo 50 kms/hora), porque o código assim manda, não olhando às caracteristicas das mesmas ? Será que é só para mostrar o alcatrão, os jardins, os candeeiros com linhas arrojadas ? Só isto é que é qualidade de vida ? E termos os acessos com boa mobilidade, sem serem rápidos, será para comtemplarmos a excelente o excelente trabalho ( e meritório ) dos jardineiros ? Só para terminar, tenho carta de condução de todas as categorias (excepção transpiortes públicos ) há 43 anos, nunca tive um acidente, apesar de durante cerca de 30 anos conduzir veículos de emergência de todas as categorias e há cerca de 2 anos por ter sido controlado numa dessas vias ( na minha viatura particular ) a cerca de 71Kms/h paguei imediatamente 120 euros e pena suspensa durante 6 meses de inibição de conduzir por 90 dias. Aí está a Justiça a funcionar !!! E cadê dos outros que contribuem realmente para a sinistralidade mas que tiverem ser apanhados em excesso de velocidade !!! VAMOS ESPERAR POR ESTA NOVA MODALIDADE DO "POKEMON" RESULTE
  • FERNANDO CRAVEIRO
    20 jul, 2016 14:28
    Começo por criticar os termos e condições dos comentarios enviados solicitados pela redacção pois efectivamente estes governantes e os outros passados merecem ser tratados abaixo de cão pela maneira insidiosa como nos querem sacar a "massa" são avisados e se forem em excesso reduzirão os limites de velocidade. Sabiam que também lá são colocadas figuras de cartão quer seja um carro ou a imagem de um policia a uma distamvia consideravel para dar a impressão que são reais ? Sabiam que estão constantemente a mudarem de posição ? As autoridades portugueses e o Fisco não lhes interessa eduycar as pessoas, apenas interessa multar para engordar o orçamento. É confrangedor ver na TV uns franganotes da GNR e PSP a darem uns "bitaites" sobre a matéria sabendo muito bem que estão a dizer um chorrilho de asneiras. Bem, para terminar devo dizer que temos as autoridades e o governo que merecemos, logo hà que andar de bicicleta mas dentro do que está regulamentado e não com a balburdia diária a que assistimos com esses velocipedes que agora, sem seguro, sem conhecimento de regras de transito ( a maior parte) fazem os maiores disparates de que há memoria. Enfim................paíos de brandos costumes e bandalheira . Façam o favor de ser felizes.
  • Sandra
    20 jul, 2016 09:24
    Bom dia, podiam enviar-me a lista onde estão instalados os novos radares. Obrigada.
  • Filipe
    19 jul, 2016 Braga 19:08
    Penso que... É mais uma nova e inteligente forma de "sacar dinheiro" aos contribuintes deste nosso querido PORTUGAL. Será que circular a 83 K/h numa estrada nacional com boa visibilidade e bem sinalizada mas com um sinal de limite máximo de velocidade 50, é grave? Será que as pessoas que foram "apanhadas" nessa situação, são inconscientes? Pessoas mal formadas? Irresponsáveis?? Por isso, fico com a sensação de que vão ser os de sempre a pagar as "Super Multas" processadas pelos sistemas i-Tech super inteligentes e totalmente automatizados. Aqueles que precisam de utilizar as estradas "privatizadas" para trabalhar. Se o chamado SINCRO não precisa de mão humana, para que serve a profissionalização e formação especifica em transito? Parabéns aos mentores do projecto, não tenho dúvidas que o ministério terá um aumento de rentabilidade e com menos recursos humanos. Afinal de contas o que interessa é melhorar a economia, certo?
  • maria martins
    19 jul, 2016 Portalegre 15:25
    É uma forma inteligente de gastar dinheiro. Seria muito mais humano pensar nos doentes e nas pessoas que passam fome.
  • sandokan
    18 jul, 2016 lisboa 19:54
    Eles deviam era prevenir estando nas estradas fisicamente para manter o respeito, e não estar escondidos em caixotes do lixo atrás das árvores.Eu pergunto isto é que o trabalho da policia a quem nos pagamos o ordenado para estarem escondidos, ou é prevenir as mortes nas estradas !
  • eduardo
    18 jul, 2016 tomar 15:26
    Agradeco o envio da localizacao dos radares