A+ / A-

Com a sonda “Juno”, entrámos na órbita de Júpiter. É histórico, mas "a diversão começa agora”

05 jul, 2016 - 06:29

Foi uma viagem de cinco anos. Com esta missão, a NASA espera perceber as origens do maior planeta do sistema solar.
A+ / A-
"A NASA fez ou tra vez das suas". Sonda Juno entra na órbita de Júpiter
"A NASA fez ou tra vez das suas". Sonda Juno entra na órbita de Júpiter

Ao fim de cinco anos de viagem, a sonda “Juno” entrou esta terça-feira de madrugada na órbita de Júpiter. Eram 4h53 (hora de Lisboa) quando foi capturada, conforme previsto, pela gravidade do planeta.

“Estamos lá. Estamos em órbita. Conquistámos Júpiter”, afirmou o cientista que lidera a missão, Scott Bolton, aos jornalistas. “A diversão começa agora”, acrescentou.

Deslocando-se a uma velocidade de mais de 130 mil milhas por hora (209.200 quilómetros por hora), a sonda fez a aproximação a norte, mostrando uma perspectiva inédita do sistema de Júpiter, incluindo as quatro grandes luas.

Nos próximos três meses, “Juno” vai colocar-se em posição para começar a estudar o que está por baixo das densas nuvens do maior planeta do sistema solar e mapear os seus gigantescos campos magnéticos.

Segundo a agência espacial norte-americana, NASA, o principal objectivo da missão é entender a origem e a evolução do chamado planeta “rei”. Isto, porque as origens de Júpiter influenciaram o desenvolvimento e a posição do resto dos planetas, incluindo o planeta Terra e a evolução da vida.

“A questão que acompanha toda a minha vida e a que espero agora poder responder é: ‘Como é que chegámos até aqui?’ Saber isto é realmente importante para mim”, afirmou Bolton.

A missão deverá terminar a 20 de Fevereiro de 2018, data prevista para o embate da sonda com Júpiter.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Tavares
    05 jul, 2016 OAZ 16:50
    Engraçado, saber os segredos de Júpiter, uau, já me sinto mais seguro, neste mundo investe-se biliões de milhões de dinheiros enquanto se deixa coisas muito importantes por fazer neste planeta para que os seus habitantes vivam mais e melhor...