A+ / A-

GNR e Guardia Civil “capturam” terroristas em exercício

20 mai, 2016 - 14:28

Tenente-coronel Jesus Galloso, da Guardia Civil espanhola, considerou fundamental a cooperação com a GNR para se dar uma resposta aos novos conceitos terroristas.
A+ / A-

A "captura de seis terroristas", nos últimos dois dias, em Portugal e Espanha, foi o resultado de um exercício de combate ao terrorismo que envolveu unidades especiais da GNR e da Guardia Civil espanhola.

Designado por "Barreira Ibérica 2016", o exercício antiterrorista, que terminou esta sexta-feira em Vila Fernando, no concelho fronteiriço de Elvas, Portalegre, serviu para reforçar a cooperação das duas forças de segurança em operações internacionais de combate ao terrorismo e tráfico de armas.

A "operação" juntou 30 elementos de operações especiais de cada uma das congéneres, num total de 60 operacionais, além de um centro de controlo e avaliação do exercício, em Mérida (Espanha), guarnecido por elementos de ambas as forças.

Em declarações aos jornalistas, o porta-voz da GNR, major Marco Cruz, explicou que o exercício consistiu em "deter um grupo de seis terroristas que praticava o tráfico de armamento, operando nos dois lados da fronteira, estando estes homens a preparar uma acção terrorista na zona de Lisboa".

"Nos últimos dois dias, a GNR e Guardia Civil recolheram informações no sentido de identificar e localizar estes indivíduos. Essas acções foram realizadas, culminando ontem à noite (quinta-feira) com a detenção em território português e espanhol de três elementos", relatou.

A operação terminou com a "detenção dos outros três elementos do grupo, que estava referenciado pelas autoridades".

Em declarações aos jornalistas, o tenente-coronel Jesus Galloso, da Guardia Civil espanhola, considerou "fundamental a cooperação e coordenação com a GNR", no sentido de se poder "dar uma resposta aos novos conceitos terroristas".

"Este exercício marcou o novo conceito de ameaça terrorista ´jihadista`, que apareceu na União Europeia. Até agora, todos respondíamos a uma ameaça convencional, mas o terrorismo ´jihadista` alterou o conceito, podendo os atentados ocorrer onde nunca poderiam ocorrer, atentados indiscriminados com grande impacto mediático", disse.

O exercício realizado pelo Grupo de Intervenção de Operações Especiais da GNR e pelo Grupo de Acción Rápida da Guardia Civil, "no sentido de neutralizar uma célula terrorista", surgiu na sequência de uma reunião bilateral entre as duas forças de segurança, ocorrida a 26 de Junho de 2015, em Valença do Minho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • fields
    20 mai, 2016 lx 15:36
    Assim é facil apanhá-los, em treino... Na realidade não é bem assim, infelizmente.