O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Combustíveis vão descer 1 cêntimo. PSD critica "brincadeira" do Governo

12 mai, 2016 - 18:00

Esta revisão acontece três meses depois de o Governo ter aumentado o Imposto sobre os Produtos Petrolíferos em seis cêntimos por litro de gasolina e de gasóleo.
A+ / A-

O Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) será reduzido em 1 cêntimo por litro no gasóleo e na gasolina, descida que entra em vigor na sexta-feira, anunciou o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade.

Esta revisão acontece três meses depois de o Governo ter aumentado o ISP em seis cêntimos por litro de gasolina e de gasóleo.

Segundo o secretário de Estado Fernando Rocha Andrade, em declarações à agência Lusa, estas actualizações do ISP representam um decréscimo de 44 milhões de euros na receita deste imposto.

Será a segunda descida dos preços dos combustíveis da semana, depois de na segunda-feira a gasolina e o gasóleo terem ficado mais baratos por via das cotações nos mercados internacionais.

De acordo com o site da Direcção-Geral de Energia e Geologia, na quarta-feira, o preço médio do gasóleo e da gasolina 95 em Portugal Continental era de 1,182 euros e 1,462 euros, respectivamente.

PSD critica "brincadeira" do Governo

O PSD critica o que diz ser uma "brincadeira" do Governo em torno do ISP, declarando que a descida em um cêntimo frustra a "expectativa dos portugueses e dos fiscalistas".

"Aquilo que [o Governo] deveria baixar para cumprir as metas orçamentais era dois, porventura três cêntimos. Baixa um cêntimo. Talvez isso esconda as dificuldades orçamentais do Governo e a necessidade de reforço de receita, mas é uma falta de respeito para com os portugueses e os contribuintes", sustentou o deputado do PSD Duarte Pacheco em declarações aos jornalistas no parlamento.

Duarte Pacheco também se insurgiu contra o que diz ser o "verdadeiro desastre que está a acontecer com a entrega das declarações de IRS, que em muitos casos devolvem "menos dinheiro do que aquele as pessoas têm direito".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.