|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Ministro da Educação: "Os meus interesses são os do interesse público"

11 mai, 2016 - 12:15

Tiago Brandão Rodrigues foi ao Parlamento prestar esclarecimentos aos deputados sobre a polémica saída do secretário de Estado da Juventude.

A+ / A-
Veja também:

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, garantiu esta quarta-feira que os seus interesses são os do interesse público. O governante foi chamado ao Parlamento para prestar esclarecimentos sobre a saída do secretário de Estado da Juventude. João Wengorovius Meneses abandonou cargo em conflito com o ministro da Educação.

"A minha forma de estar na vida política é a transparência. Os meus interesses são os do bem público, são o interesse público, neste caso o interesse público nas áreas da juventude e do desporto", afirmou Tiago Brandão Rodrigues.

O ministro da Educação tem estado envolto em polémica por causa da revisão dos contratos de associação como ensino privado. Brandão Rodrigues foi mesmo alvo das críticas de Pedro Passos Coelho que questionou as decisões do titular da pasta da Educação.

O líder do PSD disse que Brandão Rodrigues estaria ao serviço de interesses alheios ao executivo, referindo-se à decisão do Governo em rever os contratos de associação com o ensino privado.

Interpelação ao Governo sobre educação

O CDS anunciou a marcação de uma interpelação ao Governo sobre política de educação no dia 19 de Maio, sublinhando que os contratos de associação serão apenas um dos temas a questionar o executivo.

"Estando nós no próximo dia 19 a pouco mais de uma semana do final do ano lectivo, de um ano lectivo conturbado, difícil, para professores, para alunos, para pais. Entendemos que o Governo merece ser interpelado e vir ao Parlamento dar explicações sobre políticas educativas", afirmou Nuno Magalhães em conferência de imprensa no Parlamento.

Segundo o líder da bancada do CDS, a questão dos contratos de associação com o ensino particular e cooperativo será um dos temas a abordar, argumentando que "não é admissível" que "o exemplo que o Estado dá é o de rasgar contratos".

"A questão é saber se o Estado é pessoa de bem", declarou, frisando não haver "garantia nenhuma" de que os alunos cumpram os ciclos até ao final e que os contratos não sejam cumpridos pelo Estado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Manuel
    13 mai, 2016 Feijó 21:05
    Sr. Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, está a fazer um bom trabalho, continue assim. Chega de MAMA . A teta secou .
  • alice teixeira
    12 mai, 2016 sintra 22:13
    FORÇA SR. MINISTRO, A EDUCAÇÃO É PARA TODOS E PARA TODOS TEM QUE SER IGUAL. QUEM QUER EDUCAÇÃO PRIVADA QUE PAGUE, PK HÁ MUITAS CRIANÇAS QUE NEM CONDIÇÕES TÊM PARA ASSISTIR DIGNAMENTE Á ESCOLA. BASTA DE PROTEGER OS MAIS RICOS EM DETRIMENTO DOS MAIS POBRES.
  • tretas!
    12 mai, 2016 Santarém 17:49
    Então senhor ministro cara de aluno, ocupe-se a cuidar por um ensino estável exigente e de qualidade no público e deixe-se de desfazer e fazer porque os nossos filhos e netos não são propriedade de um partido ou ideologia politica e os nossos impostos são para ser geridos por pessoas sérias e para bem da nação.
  • amorabeg
    12 mai, 2016 Gondomar 16:22
    Sr. Ministro Tiago Rodrigues a que publico se refere, quando diz que os seus interesses são o "do bem e do interesse publico? Será que exagerou, ou é apenas convicção... respeite a juventude e o desporto, bem como as outras áreas do seu ministério na realidade do publico em geral.
  • R. Mendes
    12 mai, 2016 Lisboa 10:48
    E qual e o seu interesse público?
  • rosinda
    11 mai, 2016 palmela 22:03
    joao menezes nao e transparente tem um forro em tafeta!
  • Eugénio Sousa
    11 mai, 2016 Chamusca 21:17
    Vamos em frente sr. ministro. Defender a iniciativa privada com rendas asseguradas pelo Estado só passa pela cabecinha de Passos Coelho e cia.
  • rosinda
    11 mai, 2016 palmela 20:43
    qual publico?
  • Eborense
    11 mai, 2016 Évora 20:22
    E muito gratificante ver o PSD e o CDS tão preocupados com facto de 4000 professores irem para o desemprego, quando em 4,5 anos mandaram para o desemprego mais de 30 mil! É muito gratificante ver estes partidos tão preocupados com as famílias dos estudantes, quando em 4,5 anos lhes cortaram salários, pensões e lhes aumentaram brutalmente os impostos! Viva a demagogia!
  • Rosa Araújo
    11 mai, 2016 Porto 19:47
    Acho que este ministro não tem perfil para comandar seja o que for. Apenas conseguiu ser o rosto de uma guerra ideológica antiga, que não faz qualquer sentido no sec.21.