O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

DGS quer profissionais de saúde a lavar mais as mãos

05 mai, 2016 - 12:51

Em 2013, morreram 12 pessoas por dia, em Portugal, devido a infecções contraídas em estabelecimentos de saúde. Dados recordados neste Dia Mundial da Higiene das Mãos.
A+ / A-

A Direcção-geral da Saúde tem em curso um programa para incentivar a lavagem das mãos nas várias unidades de saúde. O gesto é básico, mas essencial para prevenir as infecções hospitalares.

É nos hospitais que a adesão é maior, mas o presidente do Programa de Controlo de Infecções diz que o número de adesões nos cuidados primários também tem aumentado.

“Pelo facto de serem estruturas mais pequenas, ainda não despertaram para a necessidade de aderir à campanha, mas essa situação está a ser resolvida e as novas adesões têm sido fundamentalmente na área dos cuidados continuados e primários”, refere à Renascença Paulo André Fernandes.

O responsável garante mesmo que a adesão à campanha tem sido “crescente, regular – todas as semanas há novas adesões – e isto significa que os profissionais estão cada vez mais conscientes da importância, quer da higienização das mãos quer das outras acções básicas de controlo de infecção”.

Em 2013, morreram, por dia, 12 pessoas em Portugal, devido a infecções hospitalares. São os dados mais recentes e ainda reflectem a necessidade de melhorar a higienização nas unidades de saúde.

Paulo André Fernandes diz à Renascença que, “na maior parte dos casos, os surtos estão controlados, embora continuem a existir”. O presidente do Programa de Controlo de Infecções adianta que as “situações têm de ser controladas à medida que aparecem” e garante que “estão na forja, planeadas e programadas, novas medidas para responder de forma cada vez mais efectiva a este problema”.

Mas pode a lavagem das mãos reduzir o número de infecções hospitalares? “Só pode reflectir-se, embora a relação directa seja difícil, porque as infecções têm causas multifactoriais”, afirma o responsável.

“Mas estas precauções básicas, como o nome indica, são básicas na prevenção da infecção e o seu cumprimento de uma forma correcta e cada vez mais empenhada por parte dos profissionais, seguramente que se reflectirá numa redução da infecção”, sublinha.

Esta quinta-feira assinala-se o Dia Mundial da Higiene das Mãos.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alberto
    05 mai, 2016 Funchal 14:12
    Será preciso lavar só as mãos? Será só para os Profissionais de Saúde? E que tal falar verdade?