O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Presidente da República anuncia condecoração póstuma a Salgueiro Maia

25 abr, 2016 - 16:18

Marcelo Rebelo de Sousa considera que o capitão de Abril foi "um homem que soube representar a serena coragem de um povo".
A+ / A-

O Presidente da República anunciou esta segunda-feira, em Santarém, que vai condecorar Fernando Salgueiro Maia com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique no próximo dia 1 de Julho, quando o "capitão de Abril" faria 72 anos.

Marcelo Rebelo de Sousa prestou homenagem a Salgueiro Maia na sua "terra adoptiva" e de onde, na madrugada de 25 de Abril de 1974, partiu da Escola Prática de Cavalaria à frente de uma coluna militar que teve papel fulcral no derrube do regime do Estado Novo.

"Quarenta e dois anos depois, aqui está, em Santarém, na sua terra adoptiva, alguém que em 1974, com 25 anos, vibrou com o momento histórico da abertura para a democracia, a homenagear um homem que soube representar a serena coragem de um povo, mas, mais do que isso, está o Presidente da República de Portugal que neste primeiro 25 de Abril após ter assumido as suas funções vem dizer que decidiu condecorar Fernando José Salgueiro Maia com a Ordem do Infante D. Henrique", disse.

Marcelo Rebelo de Sousa, muito saudado pelas centenas de pessoas que assistiram à cerimónia realizada no Jardim dos Cravos, onde se encontra a estátua de Salgueiro Maia e a chaimite "Bula" (que transportou Marcelo Caetano), justificou a sua presença sobretudo por querer "agradecer a Salgueiro Maia o ter encabeçado o começo da alvorada democrática e o ter permanecido igual a si próprio até ao fim da vida".

O Presidente realçou o facto de ter sido "grande na humildade, coerente no carácter, fiel ao povo que era e que soube encarnar ao serviço de Portugal".

Segundo a página da Presidência da República, a Ordem do Infante D. Henrique destina-se a distinguir quem houver prestado serviços relevantes a Portugal, no País e no estrangeiro, assim como serviços na expansão da cultura portuguesa ou para conhecimento de Portugal, da sua História e dos seus valores.

A cerimónia foi marcada pelo depoimento da neta de Salgueiro Maia, Daniela, que declarou o "orgulho imenso nos valores que [o avô] deixou, a coragem, a humildade, a solidariedade e a honestidade com que sempre viveu" e agradeceu ao Presidente o ter aceitado participar na cerimónia simples que todos os anos se repete neste local.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou o homem "simples, sem ambições de mando ou de glória", que, terminada a missão militar, que foi "sobretudo uma missão cívica", soube "regressar ao quartel para voltar a ser o que era, com a naturalidade de quem não reclama louros nem aspira a celebridade".

Para o Presidente, à sua maneira, Salgueiro Maia "deu expressão a um povo e a uma maneira de ser e de viver ao longo dos séculos" marcada por "uma vontade discreta mas firme de servir Portugal sem alarido nem busca de fama".

"Salgueiro Maia foi há 42 anos o retrato desse povo que é o que Portugal tem de melhor, melhor do que os mais falados, os mais renomados, os mais influentes ou tidos como tal. Melhor dos que os mais poderosos na política ou na economia", declarou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • manuel lorenço
    26 abr, 2016 palmela 23:23
    Sr. ATENTO não dê sugestões que emporcalhem a cerimónia. Há também um outro sr. com dores que esquece que o tal "crime" que Salgueiro Maia cometeu está a ser sufragado pelo povo há 40 anos. E o povo é quem mais ordena; e aquele casarão da Ant. Maria Cardoso que foi cuidadosamente desinfectado, deixou fugir uma bactéria que apenas causa dores em si própria. O povo português está vacinado.
  • CidadãoLX
    26 abr, 2016 lisboa 02:45
    Já era sem tempo. Mas sempre a tempo! Vergonha que politicos anteriores nunca tiveram coragem de o fazer. os ditos democratas, e que limpam o cú pelas esquinas dos corredores da politica, e enaltecem o 25A, nunca tiveram coragem de tomar esta iniciativa. Devem ter alguma espinha atravessada na garganta ainda de outros tempos. Um herói dos nossos ultimos tempos da nossa história, e que deveria de ser apresentado e ensinado nos manuais escolares da história do nosso pais. Mas, convém lembrar, que não foi o unico!
  • Antonio Rodrigues
    26 abr, 2016 Viseu 00:40
    Marcelo Rebelo de Sousa enganou-me bem, mas pela positiva. Sendo da mesma família partidária de Cavaco, nas suas palavras demonstra a sua grande diferença, mas para o lado bom. Agora posso dizer a alta voz, está na hora do PSD expulsar toda a escumalha que nem na ultra-estrema-direita têm lugar. Obrigado Marcelo, o povo desprotegido agradece-te de coração aberto.
  • Atento
    26 abr, 2016 Aveiro 00:20
    É que convide o cavaco para lhe ir lá prestar tão merecida homenagem!
  • Maria Lourenço
    25 abr, 2016 Lisboa 22:19
    Até que enfim, parece que o 25 de Abril voltou, estou emocionada voltar a ver tanta gente na rua, tanto cravo vermelho.Voltar a ouvir falar de Salgueiro Maia um Herói do nosso tempo. Bem haja o Sr.Presidente da República, que trouxe de volta a esperança a este povo que estava adormecido. Viva Salgueiro Maia, Viva o 25 de Abril, Viva Portugal.
  • Damião França
    25 abr, 2016 S. Pedro da Cova 22:00
    Muito obrigado Salgueiro Maia. Falo-te assim porque acredito que me ouves e sabes que hoje para fazerem o que fizeste queriam um lugar em topo de carreira, uma grande fortuna de milhões num local para onde fugiriam de seguida, Uma reforma vitalícia e choruda, etc. há pessoas e pessoas. Tu não foste uma pessoa qualquer. Foste TU. Obrigado.
  • Grande Marcelo
    25 abr, 2016 Lx 21:29
    ...Não votei no Prof. Marcelo, mas estou muito contente com a sua prestação. A cada semana que passa marca mais pontos! Grande prof. Marcelo! Um presidente correto, sensato, justo e transversal!...O que faltava em Portugal!
  • Ana
    25 abr, 2016 Oeiras 21:16
    Finalmente. Foram precisos 42 anos para se condecorar um grande homem como Salgueiro Maia, não sem antes se condecorar um pide e dezenas de pessoas já esquecidas. É a medida da vulgaridade dos políticos - medíocres, medíocres, medíocres,
  • Jorge Rego
    25 abr, 2016 Vila Nova de Gaia 20:37
    Foram necessários 42 anos para que Salgueiro Maia fosse reconhecido por um Presidente da Republica!!!
  • emanuel
    25 abr, 2016 Santarém 20:30
    Peca por tardia mas como diz o ditado "mais vale tarde que nunca" porém tem uma Grande vantagem é atribuída por quem sente o acto que pratica. Parabéns Senhor Presidente da República.